menu

Brasil

09/10/2014


Inteligência aplicada ao negócio

Mais do que um conceito, o site da Construtora Massai traz para o internauta uma novaexperiência de compra no universo online Em países com economia altamente desenvolvida, quase todas as empresas de todos os tamanhos usam a internet. Segundo uma pesquisa recente da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), na Suíça, por exemplo, esse percentual chega a 98%. No Brasil, isso não é diferente. Ficamos próximo a esse número. Esse cenário aponta para a necessidade de maior investimento na rede online e em inovações.

Pensando neste universo digital, a Construtora Massai sai na frente no estado paraibano e lança no mercado o seu mais novo produto: o site inteligente aplicado ao mercado imobiliário.Assim, passa a ser a primeira empresa do setor da construção civil a ter um serviço digital aplicado ao seu negócio. “O novo modelo de negócios que estamos desenvolvendo quebra paradigmas de negócios gerados via internet. Ele foi criado dentro de um conceito das melhores práticas de como as empresas imobiliárias devem se apresentar no mundo virtual em busca do comprador de imóveis”, explica Gustavo Zanotto, diretor de inteligência digital da Izimob, responsável pela criação da página.


Segundo ele, a inteligência de mercado é uma tendência mundial que já vem sendo utilizada aqui no país em grandes empresas de metrópoles como São Paulo, e trás sua grande experiência em empresas como Tecnisa e Cyrela para os novos negócios da Construtora Massai. O processo consiste no garimpo, na análise e aplicação de informações – qualitativas e quantitativas- na empresa, cujo resultado é o conhecimento sobre a lógica do mercado-alvo e o direcionamento das ações estratégicas a serem adotadas.


Zanotto observa que a análise do ambiente externo e a percepção dos cenários ajudam a evitar ameaças, identificar oportunidades, antecipar-se às tendências. Enfim, a agir e não apenas reagir. O expert no assunto diz que a Massai é pioneira na região neste novo modelo de negócio e que, através dessa nova visão aplicada ao online, terá condições de se destacar entre os concorrentes, uma vez que conhecerá melhor o mercado e os seus clientes.
“Cada página do site tem o que chamamos de tag de conversão, em que cada passo que o cliente der nós estaremos acompanhando. Será possível saber de onde ele vem, qual o canal de mídia que o impactou, como ele entrou no nosso site e quais os pontos de interesse que ele nos deu. Todo o caminho que ele percorrer e o tempo que levou para conhecer um determinado produto serão monitorados”.


Será possível identificar ainda o que mais chamou a atenção do comprador de imóveis e o que o fez se interessar ou não pelo produto da empresa. “Vamos captar alguns dados relevantes como o bairro que a pessoa quer morar e a área de lazer do empreendimento que está procurando. Tudo isso é valioso para que a empresa possa ter um parâmetro para futuros empreendimentos que deseja lançar”.


O que se pretende com isso é identificar a performance do cliente. Este mapeamento permitirá encontrar pessoas dispostas a efetuar uma compra real. “Queremos dar a Massai clientes de qualidade. Para isto, faremos um trabalho anterior de reconhecimento de mercado, neste caso, na Paraíba e arredores, bem como no Rio Grande do Norte e áreas circunvizinhas, a fim de que tenhamos um perfil de quem está buscando imóveis, o que esses clientes desejam e que tipo de produto imobiliário gostam”.

Rastros do mundo virtual


Já percebeu que toda vez que você acessa o Faceboock aparece na barra ao lado propagandas de links que você já acessou? Pois é, isso acontece devido à mídia dirigida que é feita para atuar a partir dos interesses dos internautas. Grandes empresas perceberam que através de procuras por termos específicos na internet elas poderiam associar aos seus produtos e gerar maiores lucros. Assim, passaram a criar produtos mais assertivos e direcionar suas campanhas. A LÓréal é uma das que adotou a técnica para impulsionar as vendas de um kit de mechas para os cabelos. Outra empresa que apostou neste novo comportamento foi a Kimberly-Clacrk, que conseguiu aumentar as vendas dos seus lenços Kleenex em mais de 40% depois que adotou o registro “resfriado” para associar à busca dos seus lenços.

O Google possui muito mais dados sobre os internautas do que imaginamos. O que pensamos, o que queremos e sentimos, nossas preferências e outros rastros que deixamos quando navegamos na rede são gravados pela gigante e depois muito bem utilizados. Com essas informações à mão, é possível criar a publicidade certa. Ou seja, trabalhar em cima dos volumes de busca feito pelos usuários no Google, dos banners distribuídos na rede de conteúdo do Google e da otimização do site na busca orgânica do Google. “É a partir deste trabalho de mídia que vamos direcionar os compradores de imóveis e posicionar a Massai para que qualquer pessoa que faça uma busca no Google possa estar tendo acesso ao produto da empresa”. O diretor de inteligência digital da Izimob conclui que a ideia é detectar o racional do comprador, já que ele é movido pelo fator emocional. “A pessoa já vem com o emocional pronto. Então, queremos transformar o emocional no racional, a partir do que vamos mostrar para que ele se decida e possa fechar um negócio”, conclui, ao ressaltar que isso é feito através de um estudo chamado Netnografia, que identifica desejos, necessidades e vontades do comprador.
 

Notícias relacionadas