menu

Brasil

25/11/2013


Investimento em estádios cresce quase R$ 1 bilhão em menos de um ano

Copa do Mundo

Uma nova versão da Matriz de Responsabilidades da Copa, divulgada pelo Ministério do Esporte nesta segunda-feira, aponta que os 12 estádios construídos ou reformados para a competição no Brasil tiveram um aumento de quase R$ 1 bilhão no investimento em relação à atualização anterior do documento, de 26 de dezembro de 2012.

Segundo a Matriz, compromisso assinado por esferas dos governos que lista investimentos e obras atreladas ao Mundial de 2014, o custo total dos 12 estádios é de R$ 8,005 bilhões, R$ 974 milhões a mais do que em dezembro do ano passado (R$ 7,031 bilhões). Quase todas as arenas tiveram acréscimo de valor, sendo o Estádio Nacional de Brasília a mais inflacionada: R$ 1.403.300,00 em cifras atualizadas.

De acordo com o documento, a inflação se explica pelo aumento substancial do investimento público nas obras. Em dezembro de 2012, dos R$ 7 bilhões gastos, os governos federal e locais respondiam por cerca de R$ 6,4 bilhões. Agora, de R$ 8 bi, as esferas governamentais bancam R$ 7,8 bilhões.

Já a iniciativa privada, antes colocada como parceira na construção dos estádios para a Copa do Mundo de 2014, teve participação diminuída na planilha: de R$ 612 milhões em dezembro de 2012 para R$ 133,25 milhões.

O gasto total em estádios para a Copa já supera o investimento em infraestrutura nas cidades-sedes, atualmente orçada em R$ 7,027 bilhões (eram R$ 7.811 bi até o ano passado). Inclusive, na versão atual da Matriz de Responsabilidades, 14 obras, entre mobilidade urbana, portos ou aeroportos, foram excluídas. Isso significa que elas não estarão prontas até 12 de junho de 2014, data da partida de abertura.

No total, segundo a nova versão do documento, o custo da Copa de 2014 será de R$ 25,5 bilhões. A expectativa do Governo Federal, quando anunciou as obras ligadas ao torneio, era de investir cerca de R$ 33 bilhões.

Notícias relacionadas