menu

Brasil

14/09/2017


Janot finaliza nova denúncia contra Temer e o acusa de dois crimes

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, concluiu, no fim da noite desta quarta-feira (13), uma nova denúncia contra o presidente Michel Temer. O documento é baseado nas dela&cceccedil;ões de executivos da JBS e no depoimento do corretor de valores Lúcio Funaro. A peça tem mais de 200 páginas e, de acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, o peemedebista será acusado pelos crimes de organização criminosa e obstrução da Justiça.

Esta é a segunda denúncia apresentada por Janot contra Temer baseada nas delações dos executivos da JBS. Os dados de Lúcio Funaro serviram como complemento ao que se tinha antes. A primeira denúncia apresentada por Janot foi rejeitada em votação na Câmara dos Deputados.

Constitucionalmente, caso 342 deputados concordarem, a denúncia é apresentada ao Supremo. A Câmara pode demorar a enviá-la para o Supremo Tribunal Federal (STF), que adiou nesta quarta a votação sobre a validade das provas apresentadas no primeiro depoimento da JBS.

Provas em xeque

A delação está sendo questionada por causa do vazamento de um áudio que continha uma conversa entre Joesley Batista e o executivo Ricardo Saud, que indicam atuação de Marcelo Miller no acordo de delação quando o advogado ainda era procurador, cargo que deixou em 5 de abril.

Miller nega que tenha usado o cargo para favorecer a JBS. Para a Procuradoria-Geral da República, há indícios de que o advogado tenha cometido o crime de exploração de prestígios. Joesley e Saud tiveram prisão decretada pelo ministro Edson Fachin, que negou o mesmo pedido para o ex-procurador.

JC online

Notícias relacionadas