menu

Brasil

06/01/2014


João Bosco administrará 18 bi na nova pasta do Estado

PERNAMBUCO

O novo secretário de Infraestrutura e ex-presidente da Chesf, João Bosco (PSB), prometeu dar prioridade na conclusão de barragens e de obras de algumas rodovias do Estado. O socialista retornou a gestão Eduardo Campos (PSB) na última sexta-feira (3), no Centro de Convenções, onde outros cinco nomes passaram a integrar as pastas do governo.

De acordo com o novo representante da gestão estadual a partir de agora “a tarefa é executar o que estava planejado, o programa de trabalho que está estabelecido”, esclareceu. “É um trabalho que já passei por ele algumas vezes e agora com mais experiência e tranquilidade”, disse em relação ao retorno à gestão. 

Sobre os principais trabalhos que deverão ser realizados em 2014, Bosco prometeu finalizar algumas ações já iniciadas. “Na minha área a conclusão das barragens do controle de cheias da Mata Sul. A conclusão da duplicação da BR do trecho Caruaru/Toritana e concluir os trabalhos da 408 (BR). Tem vários passos importantes agora, principalmente depois de um ano muito ruim no ponto de vista de chuvas”, detalhou. 

O novo secretário também anunciou os investimentos da pasta e a participação de Parceria Público-Privada (PPP). “A pasta de recursos hídricos tem que administrar direta ou indiretamente R$ 18 bilhões em investimentos por parte do governo do Estado, parte do setor privado, através das PPP, mas no todo, nós temos ai que mobilizar todas as equipes nossas e de terceiros para realizar um programa de investimentos que é o mais alto na história de Pernambuco”, prometeu destacando em seguida que desde valor também está incluso as obras de transportes e R$ 12 milhões deverão ser investidos em barragens e adutoras e R$ 8 bilhões provém das PPP.

Além de João Bosco também passaram a integrar a gestão de Campos os secretários de Turismo Adaílton Feitosa Filho, de Desenvolvimento Social, Bernardo D’Almeida, de Defesa Social, Alessandro Carvalho, de Trabalho Qualificação e Empreendedorismo, Murilo Guerra (PSDB) e de Cultura, Marcelo Canuto. Os novos gestores entraram no governo em virtude das vagas deixadas pelo PTB e PT e pela volta à Alepe dos deputados estaduais Alberto Feitosa (PR), Aluísio Lessa (PSB), Isaltino Nascimento (PSB) e Laura Gomes (PSB).

iG Pernambuco 

Notícias relacionadas