menu

Brasil

06/06/2014


João Luiz denuncia surgimento de “cracolândia” no Centro de Maceió

Alagoas

Na sessão desta quarta-feira (04) da Câmara Municipal de Maceió, o vereador João Luiz (DEM) fez duras críticas à situação da segurança estadual, especialmente aos postos policiais que foram inaugurados e há 60 dias estão sem funcionamento por falta de efetivo. Ele fez a denúncia após relatar o surgimento de uma nova “cracolândia” em frente ao prédio da Secretaria Municipal de Saúde, no Centro.

Segundo ele, mais de 60 pessoas estão praticamente morando e usando drogas no local. “A região está completamente abandonada pelo poder público. Não há segurança para quem circula, mora ou trabalha na região. Inauguraram os dois postos policiais e estão fechados por falta de efetivo”, lamentou.

O vereador demonstrou preocupação, pois, segundo ele, “uma jovem muito bonita, que poderia ser uma modelo” estava completamente drogada correndo entre os carros na Praia da Avenida na noite de terça-feira.

A vereadora Silvania Barbosa (PPS) comentou que conhece a realidade do grupo de moradores de rua. “Eles estavam alojados no antigo prédio do Bptran, que foi demolido, para diminuir o número de assaltos naquela região. Foi assim que foram para frente do prédio da secretaria”, explicou, acrescentando que conhece a “triste história da jovem”. “Ela fugiu de um abrigo, não quis tratamento para dependência”, desabafou.

Ainda segundo o vereador João Luiz, “uma cracolândia foi formada e está crescendo na frente da Secretaria de Saúde. “Aumentaram os assaltos na região, quando muitos daqueles jovens precisavam de tratamento”, desabafou. “Enquanto os postos policiais estão fechados, 400 homens foram separados para prestar efetivo à seleção de Gana durante a Copa do Mundo”, acrescentou, em tom crítico à política de segurança do governo estadual.

ENERGIA – Na sessão desta quarta-feira, o vereador Silvânio Barbosa (PSB) anunciou que na próxima sexta-feira, às 9h, está marcada uma reunião entre vereadores, diretores da Eletrobras e líderes comunitários para debater qualidade na a prestação de serviços de fornecimento de energia pela empresa distribuidora. O encontro está agendado para o prédio da Eletrobras, no Farol. “Queremos ouvir e cobrar soluções para os problemas que afligem toda nossa cidade, do rico ao pobre”, acrescentou.

Notícias relacionadas