menu

Brasil

22/02/2016


Juridico assegura que João Santana foi pago dentro da legalidade

CONTAS DE DILMA

O coordenador jurídico da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff, Flávio Caetano, divulgou nota nesta segunda-feira (22) na qual afirma que o pagamento de R$ 88 milhões ao marqueteiro João Santana se deu de forma legal.

 

Na nota, o coordenador jurídico da campanha afirma que as empresas de João Santana receberam R$ 88 milhões da campanha "de forma legal e absolutamente transparente".

 

Flávio Caetano menciona documento da Operação Acarajé – desdobramento da Lava Jato deflagrado nesta segunda, que inclui mandado de prisão de João Santana – no qual se afirma que "não há, e isso deve ser ressaltado, indícios de que tais pagamentos estejam revestidos de ilegalidades".

 

"Reafirmamos que na campanha da Presidente Dilma Rousseff todas as despesas foram devida e regularmente contabilizadas", diz o advogado na nota.

 

Leia abaixo a íntegra da nota.


 

NOTA À IMPRENSA

 

1- Repudiamos, com veemência, a tentativa de setores da oposição de, sem quaisquer elementos, buscar associar a investigação e as medidas cautelares determinadas pela Justiça Federal em relação ao publicitário João Santana e a campanha eleitoral da Presidenta Dilma Rousseff.

 

2- Conforme consta da prestação de contas, aprovada pelo TSE, as empresas do publicitário João Santana receberam o pagamento de R$ 88.900.000,00 em decorrência dos serviços profissionais prestados à campanha eleitoral da então candidata a presidente Dilma Rousseff,. Este valor, por si só, demonstra que o pagamento feito ao publicitário se deu de forma legal e absolutamente transparente.

 

3-É importante ressaltar que na própria representação por medidas cautelares ensejadora da denominada operação "acarajé", já tornada pública, o próprio delegado federal que a subscreve afirma literalmente que, em relação aos pagamentos feitos pelo préstimo de serviços de João Santana para a campanha eleitoral da atual Presidente da República Dilma Rousseff (2010 e 2014), "não há, e isso deve ser ressaltado, indícios de que tais pagamentos estejam revestidos de ilegalidades"(fls.59/60).

 

4- Reafirmamos que na campanha da Presidente Dilma Rousseff todas as despesas foram devida e regularmente contabilizadas.


Flávio Caetano

Notícias relacionadas