menu

Brasil

02/02/2016


Lava-Jato causa danos, mas não inviabiliza candidatura de Lula em 2018

Uma pesquisa Ipsos divulgada ontem aponta que as investigações da Operação Lava Jato atingiram em cheio a imagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. De acordo com o levantamento, 25% dos entrevistados consideram que Lula é um político honesto. Durante o escândalo do chamado mensalão, em 2005, eram 49%.

Para o presidente do Ipsos, Cliff Young, a investigação sobre desvios na Petrobras reforçou o vínculo da imagem do ex-presidente à corrupção. "A imagem de Lula está muito fragilizada", afirmou Young. Segundo ele, mesmo sem os escândalos, já seria difícil para o ex-presidente candidatar-se novamente, por conta da má avaliação do governo da presidente Dilma Rousseff e do 'cansaço' com o PT, que está em sua quarta gestão na Presidência.

A interpretação, no entanto, não é compartilhada por outros analistas. Um grupo reunido em um levantamento do Valor aponta que o caso não inviabiliza sua candidatura em 2018.

Para o diretor do Datafolha, Alessandro Janoni, a âncora da popularidade de Lula não está na Lava Jato, está na economia. Ele lembra que, na época do mensalão, a atividade aquecida foi capaz de tirar o governo das cordas.

Antonio Lavareda, da MCI, compara a situação com a de Paulo Maluf em relação a seu sucessor na Prefeitura de São Paulo, Celso Pitta. "O que encerrou a carreira majoritária de Maluf foi o desempenho de Pitta. Se o governo se recuperar, Lula se torna competitivo" .

Brasil 247

Notícias relacionadas