menu

Brasil

03/06/2016


Lava Jato cria “jurisprudência” para demissão de ministro, diz Temer

O presidente interino, Michel Temer, diz que, se houver novas revelações da Lava Jato sobre ministros, a “jurisprudência” é a demissão. “Se houver incriminações (…), os ministros sairão. É jurisprudência firmada na minha administração.”

Temer defende uma reforma da Previdência com idade mínima para trabalhadores da iniciativa privada e servidores públicos. Afirma que deverá haver regra de transição para aqueles que estiverem perto de se aposentar e também para quem já está no mercado de trabalho.

“Idade mínima, sem dúvida”, diz. “Uma certa igualdade, uma certa isonomia” é importante entre servidores públicos e trabalhadores da iniciativa privada.

A criação de uma CPMF temporária, para o país voltar a ter superavit primário em 2018, não é descartada por Temer, apesar de ele e a equipe econômica preferirem evitar alta de tributos. No entanto, admite que, se necessário, fará uma proposta nesse sentido.

“Uma radiografia muito negativa”, diz Temer, ao ser indagado sobre o país que herdou da presidente afastada, Dilma Rousseff. Mas afirma que foi capaz de “encontrar uma base parlamentar muito sólida” para aprovar projetos em “harmonia” entre o Executivo e o Legislativo.

De acordo com Temer, a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) para estabelecer um teto para as despesas públicas fixará percentuais de gastos de 18% em educação e de 13% em saúde. Ele estima que a proposta vigore por, pelo menos, sete ou oito anos.

O presidente interino conversou com o SBT na tarde desta quinta-feira, no Palácio do Jaburu, em Brasília. Veja abaixo a íntegra da entrevista em vídeo, dividida em duas partes:

Blog do Kennedy

IG

Notícias relacionadas