menu

Brasil

22/02/2016


Lava Jato: Odebrecht pagou propina na Argentina

Uma planilha encontrada pela Polícia Federal nos escritórios da empreiteira Odebrecht levantou a suspeita que a construtora também tenha repassado dinheiro a "uma autoridade argentina".

Segundo o material apreendido, que terá sido gerada pela secretária do presidente da empreiteira, Marcelo Odebrecht, os pagamentos seriam efetuados por meio de uma offshore utilizada para pagar propinas decorrentes de contratos da Petrobras. Os investigadores suspeitam que os recursos envolvam repasses irregulares para campanhas eleitorais.

Ricardo Jaime, ex-secretário de Transportes na Argentina, seria um dos beneficiados por dinheiro irregular no exterior, segundo informou a PF em coletiva de imprensa sobre a 23ª fase da Lava Jato na manhã desta segunda-feira 22.

O documento foi encontrado no ano passado, em um dos computadores apreendidos na sede da empreiteira e, segundo os investigadores, seria um mecanismo de "controle de pagamentos ilícitos".

Além da autoridade argentina, os agentes encontraram referências ao marqueteiro João Santana, citado como "Feira", em razão da cidade baiana de Feira de Santana, e ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, apontado como JD.

Notícias relacionadas