menu

Brasil

08/03/2016


Lindbergh questiona Janot: Por que não abre nada contra o Aécio?”

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) fez duras críticas à Operação Lava Jato e pediu investigação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) em discurso no ato em defesa da liberdade de expressão e contra a tentativa da Rede Globo de censurar blogs e mídias alternativas no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo nesta segunda-feira 7.

O senador lembrou que Aécio já foi citado por três delatores na Lava Jato, mas mesmo assim não é investigado. "Dr. Janot, por que não abre nada contra o Aécio?", questionou ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot. "Se é um petista, vai para a TV Globo. Quando é Aécio, a gente só sabe quando é arquivado", comparou.

Ele lembrou também que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que tem um apartamento em Paris, também não é alvo de investigação. "A gente já foi muito frouxo, chega. Agora não é hora de covardia", ressaltou.

Sobre a 14ª fase da Operação Lava Jato, contra o ex-presidente Lula, destacou que "foi claramente ilegal" e fez outras críticas à investigação. "Estão torturando para delatar. E o mais grave: quando delatam os tucanos eles dizem 'não interessa'. Tem que delatar o PT", denunciou. "Tá cheio de ladrões, delatores, que estão cheio de dinheiro e vão para casa, basta delatar o PT", acrescentou.

Ele também criticou entrevista da ex-presidenciável Marina Silva ao jornal O Globo, na qual chamou grupo de manifestantes do PT de "milícia". "Estou por aqui com a Marina Silva", confessou. "Ela nos conhece, sabe que a tradição nossa é pela esquerda democrática. Que vai para as ruas, que luta democraticamente. E ela ir para os jornais falar em milícia do PT? Se somar ao Merval Pereira! Vergonha, Marina! As milícias que estão se armando não são do PT, são do Bolsonaro, que tá em aliança com o PSDB", atacou. Assista abaixo:

 

Notícias relacionadas