menu

Sergipe

23/12/2016


Litoral de SE é palco de fenômeno inédito

Um fenômeno até então inédito no Brasil, conhecido como arribada, aconteceu neste mês de dezembro entre o litoral de Sergipe e Bahia. Cerca de 350 tartarugas oliva buscaram, numa só noite, nas areias das praias desses dois estados, pontos para desovar. De acordo com o Projeto Tamar, o número de desovas de tartarugas na área de reprodução prioritária para essa espécie cresceu 30% em relação à temporada anterior (setembro à dezembro). Ao todo, 4.440 ninhos, essencialmente da espécie oliva (Lepidochelys olivacea), foram contabilizados ao longo do litoral desses estados.

Ventos fortes, escuridão e maré cheia fizeram uma combinação perfeita para a chegada das olivas às praias. «A quantidade recorde de fêmeas em uma só noite é um comportamento das olivas chamado de ‹arribada›, que até então não tinha sido registrado no Brasil”, disse a bióloga Jaqueline Comin de Castilhos, coordenadora técnica do Tamar em Sergipe. A arribada aconteceu nos 205 km monitorados entre Sítio do Conde-BA e Ponta dos Mangues-SE.

‹Arribada› é como os pesquisadores denominam a agregação em massa de tartarugas oliva que chegam à praia para desovar centenas ao mesmo tempo. Isso ocorre na Costa Rica, no México e na Índia, que recebem os maiores grupos de tartarugas subindo para desovar de uma só vez. No Brasil ocorreu no último dia 3.

“Todas as cinco espécies de tartaruga marinha protegidas pelo Tamar e que são avistadas na costa brasileira estão ameaçadas, mas, graças à contribuição do projeto Tamar, têm aumentado suas populações no Brasil”, diz Nilo Azevedo Duarte, gerente geral da Unidade de Operações de Exploração e Produção de Sergipe e Alagoas da Petrobras (UO-Seal), que acompanhou a soltura dos filhotes de tartaruga.

O Tamar começou nos anos 80 a proteger as tartarugas marinhas no Brasil. Com Patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, o projeto monitora cerca de 1.100 quilômetros de praias e está presente em 25 localidades, em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso das tartarugas marinhas, no litoral e ilhas oceânicas dos estados da Bahia, Sergipe, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina. 

Jornal da Cidade

Notícias relacionadas