menu

Brasil

11/10/2016


Lula ataca MPF e compara força-tarefa da Lava Jato a vídeo do Porta dos Fundos

A equipe do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva usou o site oficial do petista para atacar os investigadores que atuam na força-tarefa da Operação Lava Jato. O artigo publicado nesta terça-feira (11) compara as negociações de acordos de delação premiada a um esquete do canal humorístico Porta dos Fundos. No vídeo, intitulado "Delação", o investigador interpretado por Gregório Duvivier ignora informações que comprometam integrantes do PSDB e conduz o interrogatório buscando acusações contra Lula e Dilma Rousseff.

"A pressão de investigadores para tentar incriminar o ex-presidente Lula e a parcialidade da Operação Lava Jato são tamanhas que até inspiraram um vídeo de humor do grupo Porta dos Fundos", escreveu a assessoria de Lula. 

O texto foi publicado em resposta a uma reportagem publicada nesta terça-feira pelo jornal "Folha de S.Paulo", na qual investigadores ouvidos pela reportagem do periódico garantem que a proposta de acordo de delação do ex-diretor da Odebrecht Alexandrino Alencar foi negada pelos procuradores da Lava Jato e da Procuradoria-Geral da República.

Segundo a reportagem, os investigadores consideraram que as informações prestadas por Alencar, que seria um dos funcionários da empreiteira mais próximos a Lula, estavam incompletas. A força-tarefa da Lava Jato também avaliou que o ex-diretor da Odebrecht poderia estar tentando acobertar o ex-presidente.

Lula, por meio do artigo publicado em seu site, alegou que os procuradores estariam "pressionando" Alencar a incriminá-lo. "O fato de Alexandrino não ter imputado nenhuma ilegalidade a Lula fez com que os procuradores não aceitassem a sua delação", diz o artigo.

A equipe do ex-presidente escreve, ainda, que o Ministério Público Federal estaria travando uma "verdadeira guerra jurídica" contra Lula. "Essa não é, inclusive a primeira vez em que procuradores são acusados de pressionar pessoas a trocarem benefícios penais por depoimentos que incriminem o ex-presidente. Essa prática é apenas mais uma dentro da verdadeira guerra jurídica promovida por integrantes do Ministério Público contra o ex-presidente."

O vídeo "Delação", do Porta dos Fundos, foi publicado em abril e motivou uma série de ataques contra integrantes do canal, acusados por internautas de defenderem o Partido dos Trabalhadores "em troca" de recursos da Lei Rouanet. A reação negativa motivou, na semana seguinte, a publicação de um novo vídeo do Porta dos Fundos ("Reunião de Emergência 3, A Delação 2") satirizando as críticas recebidas.

Assista ao vídeo do Porta dos Fundos mencionado por Lula:

iG

 

Notícias relacionadas