menu

Política

15/04/2015


Lula critica lei da terceirização por impulsionar ‘mão de obra quase escrava’

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que a classe trabalhadora não pode permitir a aprovação do projeto de lei que revê os critérios da terceirização no país para evitar que 'as empresas passem a utilizar mão de obra quase escrava como no século passado'.

Lula participou junto ao ator e ativista sindical americano Danny Glover do 9º Congresso Nacional dos Metalúrgicos da Central Única dos Trabalhadores (CUT), onde disse que a luta contra esse projeto é 'uma questão de honra' para a classe trabalhadora.

A Câmara dos Deputados aprovou na semana passada o texto-base de uma lei que amplia para todos os setores da economia a terceirização do emprego, autorizando as empresas a contratarem prestadores de serviço, inclusive, para desenvolver suas atividades-fim.

Uma emenda aprovada nesta terça-feira pelos deputados, no entanto, proibiu que as empresas públicas e as sociedades de economia mista, como a Petrobrás, possam contratar terceirizadas em atividade-fim.

Até então, a terceirização é autorizada apenas para atividades não específicas das empresas contratantes, como serviços de limpeza, transporte e segurança.

'A conquista dos direitos trabalhistas foi conseguida com muita luta. Com certeza algum deputado não deve saber disso', disse Lula, defendendo uma discussão ampla sobre o projeto de lei, algo também já proposto pela presidente Dilma Rousseff.

'Evitar a aprovação do projeto de lei é exigir que o Congresso respeite as conquistas históricas da nossa classe trabalhadora', ressaltou o ex-presidente.

Lula também falou sobre o escândalo de corrupção na Petrobrás, com o envolvimento de vários políticos, a maior parte da base aliada, e pediu que o PT pare de ser 'criminalizado'.

'Perguntem a qualquer promotor se houve algum outro momento da história em que se criaram tantos instrumentos de investigação e luta contra a corrupção como nos 12 anos de governo do PT', afirmou o ex-presidente.

'Vamos investigar de verdade as finanças de cada partido político e tentar de tentar criminalizar o PT, que não é formado por um ou dois deputados, mas tem muitos milhões de pessoas', defendeu.

Glover também criticou a terceirização, se referiu a Lula como 'herói' e pediu ao movimento sindical para não esquecer 'o tema racial para poder curar as cicatrizes do povo afrodescendente'.

 

EFE 

Notícias relacionadas