menu

Brasil

27/06/2014


Mais baixos da Copa, chilenos admitem desvantagem contra gigantes do Brasil

Futebol

Entre as principais jogadas treinadas pela seleção brasileira desde o início da sua preparação para a Copa do Mundo em Teresópolis, em 26 de maio, sempre esteve o cruzamento na área em bolas paradas. É uma arma cada vez mais usada no futebol mundial e Luiz Felipe Scolari nunca escondeu seu gosto por esse tipo de treino.

O Chile ainda não era o adversário definido para o Brasil nas oitavas, mas o técnico já pensava nessa possibilidade. E agora, às vésperas do encontro no Mineirão, no sábado, aqueles treinos exaustivos podem ser a chave para uma boa partida.

Os chilenos formam a seleção mais baixa de toda a Copa do Mundo. A média é de 1,76m. O Brasil, com média 1,82m, pode tirar proveito disso e os próprios chilenos reconhecem. “Bola aérea na nossa área pode ser um problema, pois temos um time baixo. Não temos mais um Figueroa”, disse o lateral-direito Maurício Isla, de 1,77m, citando o ex-zagueiro da seleção e do Internacional nos anos 80 que tem 1,86m.

Nas faltas ou escanteios, os zagueiros brasileiros costumam subir ao ataque e aí a disputa é quase desleal. Thiago Silva tem 1,82m e David Luiz, 1,89m. A zaga chilena é formada por Gonzalo Jara, 1,77m, e Gary Medel, 1,71m. Os atacantes brasileiros também são mais altos: Fred tem 1,86m e Hulk, 1,80. Neymar, com 1,75m, poderia ser zagueiro no Chile.

Isla defende seu colega mais baixo. “Sou orgulhoso de tê-lo no time. É um que pode ganhar bolas aéreas mesmo tendo 1,70m e tenho orgulho dele. É um jogador que deixa tudo no campo e podemos fazer um grande partida”, disse. O jogador titular mais alto do Chile é o goleiro Bravo, com 1,85m.

Antes mesmo do início da Copa, Jara foi questionado sobre essa questão e não gostou. "Esse assunto já é velho. Não temos defensores tão altos como antes, é verdade. Mas lidamos bem com isto", disse Jara, nos primeiros dias de treino do Chile em Belo Horizonte.

Em 2010, nas oitavas de final entre Brasil e Chile na Copa da África do Sul, o primeiro gol brasileiro na vitória por 3 a 0 foi marcado pelo zagueiro Juan após cobrança de escanteio. Isla e Jara jogaram aquela partida. Para o primeiro, não se pode comparar as situações porquem para ele, tanto Brasil como o Chile têm times melhores em 2014.

Alexis Sánchez, 1,69m, que tentará por baixo superar Thiago Silva e David Luiz, disse que não se importa com números. "Ganhará a partida quem deixar o coração no campo. Quem tiver mais vontade e deixar todo o suor no campo. E vamos tentar fazer isso".

(do iG)

Notícias relacionadas