menu

Alagoas

23/11/2017


Mais de 40 municípios alagoanos estão sem delegados

Mais de 40 municípios alagoanos estão sem delegados e cerca de 60 cidades são chefiadas por delegados com acúmulos de funções. É o que aponta o levantamento realizado pelo Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) e divulgados durante reportagem da TV Gazeta.

De acordo com o Sindpol, há uma defasagem de pelo menos 80 delegados em Alagoas, além de mais 50 chefes de delegacias que estão prestes a se aposentar. A categoria cobra do governo novas convocações da reserva técnica para suprir as necessidades das delegacias. De acordo com o presidente do sindicato, José Carlos Santos, há o diálogo com o governo, no entanto, não há avanço nas negociações.

” A promessa era de que haveria nomeação de agentes e também de delegados. O problema é que já ouvimos a versão de que somente os agentes serão convocados. Isso nos preocupa muito”, afirma o presidente.

Segundo ele, mesmo havendo convocação, o número de convocados proposto pelo governo, que seriam de 30 profissionais, ainda é insuficiente, devido ao alto número de defasagem.

“É muito pouco. Os delegados acabam tendo que precarizar o serviço prestado à população. Tem delegado que está chefiando cinco delegacias”, diz José Carlos.

A Lei Estadual de 1993 define a quantidade de vagas dispostas nas delegacias em todo o estado alagoano. Após mais de 20 anos, Alagoas ainda possui a mesma quantidade de vagas. “A lei de 1993 foi baseada em outra realidade e outros tipos de crimes e demandas sociais. Hoje temos outras demandas maiores”, expõe o presidente.

Diferentemente dos Policiais Militares, os agentes e delegados da Polícia Civil ainda precisam passar por um curso de formação, após o concurso. Este curso tem duração de dois meses. No entanto, eles ainda não passaram pelo processo.

A Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio de Alagoas (Seplag-AL) disse em nota que está analisando a folha de pagamento para saber se é possível realizar a convocação da reserva técnica. No entanto, informou também que não há previsão para novos concursos.

Brasil 247

Notícias relacionadas