menu

Brasil

17/10/2016


Mais de mil pessoas ficam defronte ao apto de Lula para evitar prisão

VIGILIA

Pelo menos mil partidários de Luís Inácio Lula da Silva dirigiram-se no início da noite deste domingo (16) para a porta do prédio onde mora o ex-presidente na Avenida Francisco Prestes Maia, em São Bernardo do Campo, após rumores darem conta de que uma nova fase da Operação Lava Jato resultaria na prisão do petista. Os vigilantes pretendem passar a noite no local para constranger qualquer tentativa de encarceramento do líder petista.

A mobilização começou nas redes socais após uma postagem no Facebook do evento “Ato Vigília – Lula” pelo jornalista Aparecido Araújo Lima. A partir disso, centenas de mansagens convocando para o evento foram disparadas no Twitter e compartilhadas no Facebook.

No detalhamento do evento, Aparecido escreve que “Lula vem sofrendo constantes perseguições injustas” e que “nos últimos meses estas buscas começaram a se acirrar, culminando numa prisão prestes a se configurar”.

O texto denuncia que Lula será detido de forma arbitrária com o apoio da mídia golpista e convoca para, a partir de amanhã 16 de Outubro (hoje), “todos a formar uma grande corrente de vigília pacífica e solidária em defesa do Lula,nas imediações das delegacias ou postos da Polícia Federal de todo o Brasil”.

A recomendação é para que os apoiadores levem um balão branco e mensagens de agradecimento. “Faça uma ação em sua cidade. Leve sua bandeira, faixa e seu coração, assim construiremos uma resistência silenciosa e profunda na mente de todos os brasileiros, que neste momento encontram-se tristes e deprimidos. Cada balão significará a lágrima não chorada, o pranto que não nasceu e o luto pelo fim de um projeto de um país melhor para todos.”

O início dos atos, diz a mensagem, será em São Paulo, será na frente da residência do presidente Lula. Outros grupos fariam vigília na porta da Polícia Federal e acessos por onde passarão os que pretendem “buscar aquele que no futuro será conhecido como o melhor presidente que este país já teve.”

Indiciamentos

Na última quinta-feira (13), Lula se tornou réu pela terceira vez após o juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, abrir ação penal contra o ex-presidente, um sobrinho da primeira mulher dele, Taiguara dos Santos, o empresário Marcelo Odebrecht e mais oito pessoas, todas acusadas de crimes como organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção.

No dia 20 de setembro o juiz federal Sergio Moro aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público Federal contra o ex-presidente por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Com a decisão, Lula virou réu na Operação Lava Jato. Ele já era réu em outra ação na Justiça do DF. Também viraram réus a mulher de Lula, Marisa Letícia, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, além do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, Agenor Franklin Magalhães Medeiros, Fábio Hori Yonamine, Paulo Roberto Valente Gordilho e Roberto Moreira Ferreira.

Para Moro, há indícios de que Lula teria sido beneficiado pelas vantagens pagas pela empreiteira OAS e que sabia que a origem do dinheiro era o esquema de corrupção que desviou recursos da Petrobras. "Luiz Inácio Lula da Silva seria beneficiário direto das vantagens concedidas pelo Grupo OAS e, segundo a denúncia, teria conhecimento de sua origem no esquema criminoso que vitimou a Petrobras", disse o juiz em seu despacho.

Notícias relacionadas