menu

Paraíba

20/01/2017


Maranhão minimiza força de Lira e diz se for convocado pode disputar Governo

“Estou à disposição de meu partido e do meu Estado. Este tema é algo a ser discutido e avaliado mais na frente, mas estou disponivel se este for o interesse dos que defendem uma outra gestão mais eficiente para o Estado”, declarou em entrevista EXCLUSIVA ao Portal WSCOM, o senador e presidente do PMDB, José Maranhão, avaliando que o partido tem interesse em disputar o Governo em 2018.

Em conversa com o analista político e bloqueiro Walter Santos, Maranhão foi minucioso no exame dos movimentos produzidos pelo senador Raimundo Lira para ser candidato ao Governo, mas ele acha que não obterá êxito em face do que considera plano articulado com o governador Ricardo Coutinho.

Na entrevista, ele explicou a audiencia recente com o presidente da República Michel Temer.

Eis a entrevista, na integra:

WSCOM – Senador, como o Sr. encara movimentos internos no PMDB liderado pelo senador Raimundo Lira propondo novos rumos e comando no partido?

Senador José Maranhão – Muitos ignoram mas o PMDB é um partido forjado na democracia, na luta pela democracia e compreendo como natural os anseios de seus filiados. Isto, entretanto, precisa ser diferenciado de possíveis jogadas pessoais e de interesse particular.

WSCOM – Mas, o senador Lira tem conquistado apoios internos…

Maranhão – Isto não vai a lugar nenhum em face da motivação a que se presta esta atitude. O senador não é um político na essência, posto que sempre se destacou como grande empresário. Aliás, depois de sua última derrota vendeu tudo.

WSCOM – Na história, ele foi eleito…

Maranhão – Foi eleito por golpe de sorte. Morcegou no veiculo chamado PMDB e Burity. Depois de derrotado sumiu. Vendeu tudo até suas empresas na Paraiba e foi morar nos Estados Unidos, em Miami, muito distante dos problemas de nosso Estado.

WSCOM – Ele ascendeu de novo com Vitalzinho…

Maranhão – De fato, mesmo morando nos Estados Unidos foi indicado por Vitalzinho que, como ascendeu a ministro do Tribunal de Contas abriu vaga para ele.

WSCOM – O senador Lira fala em reeleição e até ser candidato a governador?

Maranhão – Se quiser ser candidato ao Senado não tem problema. Agora, para ser candidato ao Governo precisa provar a viabilidade eleitoral porque o PMDB tem foco em 2018 em querer disputar para ganhar.

WSCOM – Mas ele quer ser candidato ao Governo…

Maranhão – Pelo caminho escolhido por ele via Ricardo Coutinho acho que não conseguirá porque só ele conhece os encantos do governador que, para a maioria tem outros valores, inclusive de maus tratos ao PMDB.

WSCOM – Qual é o projeto do PMDB para 2018?

Maranhão – Estamos trabalhando o interesse de estarmos sempre ligados ao interesse da sociedade, além do mais o PMDB não é partido de aluguel porque tem historia a se confundir com a da democracia. Agora querer rachar ou dividir o PMDB não é a melhor opção porque, quem assim age precisa até pensar em rever sua convivência com o partido e até sair dele.

WSCOM – O sr. insiste em defender aliança com Cássio para 2018?

Maranhão – A aliança que fizemos foi com Luciano Cartaxo em João Pessoa coincidindo com o interesse do senador Cássio. Isto implica dizer que não ha acordo prévio com o PSDB. Aliás, quem atrapalhou a vida de nossos candidatos do PMDB na eleição passada foi o governador tirando chances de companheiros nossos.

WSCOM – O Sr admite colocar seu nome para disputar o Governo?

Maranhão – A minha posição e convicção é de ajudar ao partido e ao meu estado. Não misturo as coisas.

WSCOM – O sr acaba de ter uma reuniao com o presidente Michel Temer. Tratou da questão do PMDB da Paraiba?

Maranhão – O presidente Temer conhece a todos até porque é um velho amigo. Fui tratar de problemas graves como a estiagem e seus efeitos no nosso Estado, portanto, não levaria assunto secundário e inoportuno para tratar com ele numa audiência de trabalho.

WSCOM – Voltando ao cenário de 2018, o Sr apoiaria uma candidatura de Cássio?

Maranhão – Ao que todos sabem e ouvem, o senador Cássio tem dito e repetido que é candidato ao Senado, à reeleição. Se é assim, a Oposição ao governador tem uma vaga de governador para ocupar e o PMDB se dispõe a disputar esta vaga.

WSCOM – Volto a repetir: o sr aceitaria ser candidato ao Governo?

Maranhão – Estou à disposição de meu partido e do meu Estado. Este tema é algo a ser discutido e avaliado mais na frente, mas estou disponivel se este for o interesse dos que defendem uma outra gestão mais eficiente para o Estado.

WSCOM

Notícias relacionadas