menu

Bahia

16/02/2016


Merenda escolar de Salvador é a melhor do Nordeste

Concurso realizado pelo Ministério da Educação (MEC) revela que Salvador tem a melhor merenda escolar do Nordeste e que os alimentos estão entre os mais nutritivos do país. No total, 1,4 mil receitas desenvolvidas por escolas de todo o país participaram do concurso. O MEC avaliou aparência, sabor e ingredientes utilizados nas receitas. Além da capital baiana, foram escolhidos ainda pratos produzidos no Paraná, em Goiás, no Espírito Santo e no Pará.

Os três colégios nordestinos pré-selecionados pelo MEC para a disputa foram de Salvador: a Escola Municipal Nossa Senhora das Candeias, em Ilha de Maré, – que ficou entre as cinco primeiras do país – e as escolas municipais Batista de São Caetano (São Caetano) e Francisco Leite (Cajazeiras), que disputaram até o fim uma vaga na gincana nacional do ministério.

"A premiação é fruto do trabalho realizado e desenvolvido desde a formação do cardápio, passando pela conservação dos mantimentos até o trabalho das merendeiras no desenvolvimento dos pratos. Não foi surpresa a avaliação do MEC. Nossa intenção é aprimorar ainda mais a merenda escolar no município", afirma o secretário da Educação de Salvador, Guilherme Bellintani.

Responsável pela receita do abará de aipim, a merendeira Dejanira dos Santos, que trabalha há 17 anos na Escola Nossa Senhora das Candeias, conta como se deu a criação do prato.

"Sempre comemoramos o aniversário dos funcionários aqui na escola. Quando chegou minha vez, uma de nossas colegas, que também é baiana de acarajé, sugeriu utilizar a massa do aipim para fazer um abará diferente, sem o tradicional feijão fradinho. Seguimos a ideia e sugeri que trocássemos o camarão pela carne moída, que é um item que temos em abundância para a merenda. Ver nossa receita premiada em nível nacional é um grande orgulho e uma alegria maior ainda. Os alunos querem comer o abará todo dia. É preciso fazer mais de uma vez por semana, senão os meninos reclamam, de tanto que gostam".

Premiação

Finalizada em janeiro, a gincana foi uma forma de o MEC celebrar o 60º aniversário do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), aproveitando a data para reforçar na educação de base a necessidade de manter e incentivar hábitos alimentares saudáveis. A escolha foi feita entre 2,4 mil merendeiras de todo o Brasil e o prêmio para cada uma das cinco vencedoras foi de R$ 5 mil.

Notícias relacionadas