menu

Brasil

01/02/2016


Microcefalia: Fiocruz pede mobilização da sociedade, ‘ou seremos derrotados’

entrevista exclusiva

A Revista NORDESTE conversou com o vice-presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Valcler Rangel Fernandes, que alertou que este fenômeno é o maior problema de Saúde Pública já enfrentado no Brasil e pediu mobilização da sociedade para combater o surto.

Revista NORDESTE: O Brasil vive uma epidemia?
Vancler Rangel Fernandes: Eu não quero alcunhar de epidemia. Nós temos o maior problema de Saúde Pública, provavelmente, dos últimos 100 anos no Brasil. Esse é o maior problema de Saúde Pública que enfrentamos. Em 1953, tivemos 563 crianças com poliomielite e isso gerou uma revolução na Saúde Pública. Vendo o número de crianças atingidas pela AIDS, por transmissão vertical. Até o fim de janeiro foram mais de 4 mil casos investigados de microcefalia e não se compara a nenhum número de crianças atingidas por qualquer doença em um período tão curto na história, talvez do mundo. Portanto, nós hoje, salvo engano, podemos dizer que esse é o maior problema da população brasileira, não só de Saúde, para gerações futuras na história do país. Esse aumento no número de casos tão abrupto, é o problema mais grave que já tivemos, falado não só por mim, mas por pessoas que passaram pelo problema de meningite em 74, pela cólera nos anos 80, pela dengue nos anos 80 e 90, todo mundo viu a gripe H1N1, Ebola, não existe nada igual a isso que nós estamos passando agora.

NORDESTE: O que deve ser feito para combater essa situação?
Fernandes: Primeiro, mobilizar a sociedade toda em torno disso. A gente quer fazer uma mobilização total, junto com instituições, universidades, instituições de pesquisa e ensino e tal, para buscar soluções e proteger as mães e as crianças, para proteger as pessoas dessa epidemia, principalmente focando no controle vetorial, temos que controlar esse vetor e só com a sociedade toda. Exército, ministérios, sociedade civil, movimentos sociais, governos municipais, estaduais e federal, setor privado, com uma grande mobilização, não tem outro jeito, sem essa mobilização, seremos derrotados

Notícias relacionadas