menu

Geral

04/03/2016


Militantes pró e contra Lula se enfrentam no aeroporto de Congonhas

O depoimento em condução coercitiva prestado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no pavilhão de autoridades do aeroporto de Congonhas, na zona Sul de São Paulo, conta com forte apoio policial e de homens do Comando de Operações Táticas (COT), esquadrão de elite da PF.

Dezenas de militantes petistas que se concentraram em frente à sede nacional do PT em São Paulo estão a caminho do aeroporto de Congonhas.

A direção estadual paulista do partido orientou os petistas a reforçarem a manifestação que já está acontecendo no local. O clima em Congonhas é de enfrentamento e deve se acirrar ainda mais.

Em frente ao PT, petistas gritam que vão “pegar os coxinhas”, em referência aos adversários do partido. A executiva do PT está reunida para discutir os desdobramentos da nova fase da Lava-Jato e do depoimento prestado por Lula. O ex-presidente foi levado, de forma coercitiva, a prestar depoimento na manhã desta sexta-feira.

 

 

ACONTECE AGORA!CLIMA DE GUERRA EM CONGONHAS.Militantes pró e contra o ex Presidente Lula estão se enfrentam agora no aeroporto de Congonhas, onde Lula depõe pra o delegado de plantão da Policia Federal.Vídeo – Midia Ninja, especial para os Jornalistas Livres#nãovaitergolpe#golpistasnãopassarão#jornalistaslivres

Publicado por Jornalistas Livres em Sexta, 4 de março de 2016

 

Confronto

Manifestantes favoráveis e contrários ao PT entraram em confronto nesta manhã no saguão do aeroporto de Congonhas. A Polícia Militar recebeu um reforço de efetivo para conter agressões entre os grupos.

O ex-líder do PT na Câmara Professor Luizinho e o deputado federal Jamil Murad (PC do B-SP) foram hostilizados pelos manifestantes. Em resposta, ergueram os punhos, gritando o nome do presidente Lula.

Luizinho disse que chegou de Brasília mais cedo e, ao saber que o ex-presidente prestava depoimento no pavilhão de autoridades, resolveu ficar para “responder” aos manifestantes contrários ao ex-presidente.

Em vários momentos houve tentativas de agressão entre os grupos de manifestantes. Um homem chegou a jogar notas de dinheiro (cédulas de R$ 2) sobre petistas que empunhavam bandeira do partido aos gritos de “não vai ter golpe”.

A situação é tensa e a PM faz um cordão no meio do saguão para evitar que os grupos partam para a agressão física.

Cerca de 100 pessoas fazem manifestações no saguão de Congonhas, entre solidários ao ex-presidente e contrários a Lula.


Cristiane Agostine e André Guilherme Vieira
Valor

Notícias relacionadas