menu

Brasil

22/06/2015


Motta se recusa a explicar porque pediu a Lula para não nomear Nardes

EXCLUSIVO – O ex-presidente do Tribunal de Contas da União, Adylson Motta, disse nesta segunda-feira à reportagem da Revista NORDESTE que não iria se pronunciar sobre pedido feito por ele ao então presidenta da República, Luiz Inácio Lula da Silva, para que não nomeasse o ex-deputado federal Augusto Nardes, atual relator das contas da presidenta Dilma Rousseff, pela “inobservância do requisito constitucional da reputação ilibada e idoneidade moral”. Mesmo assim, Lula nomeou o ex-deputado do PDS, PRB.

 

– Olha, estou aposentado há tempo, portanto, estou fora dessas questões por isso não vou me manifestar – declarou ele à reportagem.

 

Adylson Motta, atualmente morando em Brasilia, foi responsável como então presidente do TCU de formalizar à presidência da República a não nomeação do ex-deputado em face de estar sem processado por crime eleitoral, peculato e concussão.
Segundo os principais veículos de comunicação do Centro-Sul, o atual relator das contas de Dilma, teria feito acordo para livrar da condenação:

 

“Doaria 1 000 reais ao Fome Zero e faria oito palestras em escolas públicas, uma a cada três meses, durante dois anos, sobre democracia e eleição. Tentou dar um aplique dizendo que concedera as oito palestras em dois dias. Em abril, o procurador-geral da República denunciou a malandragem à Justiça, exigindo que a pena fosse cumprida ao longo de dois anos — e não de dois dias.”, dizem os veículos, acrescentando a seguir:

 

– Informado da ação criminal e do acordo fraudado, o presidente do TCU, Adylson Motta, ficou horrorizado. Escreveu ao presidente Lula pedindo que não sancionasse a nomeação de Nardes devido à "inobservância do requisito constitucional da reputação ilibada e idoneidade moral". Lula não deu a mínima.”
 

BRASIL247

Notícias relacionadas