menu

Brasil

02/06/2016


Mulher e filha culpam Cunha por contas na Suíça

A estratégia de defesa da família Cunha parece ser a de preservar a família e jogar toda a responsabilidade nos ombros do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Em depoimentos prestados à força-tarefa da Lava Jato no dia 28 de abril, a mulher de Eduardo Cunha, Cláudia Cruz, e sua filha, Danielle Dytz, culparam o deputado afastado pelas contas movimentadas pela família na Suíça.

Cláudia disse que a conta batizada de Kopep “foi aberta única e exclusivamente para custeio dos filhos no exterior” e que “não declarou as contas às autoridades brasileiras porque quem era o responsável por isso” era Cunha.

Danielle, por sua vez, afirmou que era financeiramente dependente do pai e que “presumia que o dinheiro que mantinha o alto padrão de vida da família era proveniente do patrimônio da atividade anteriormente desenvolvida” pelo peemedebista.

Como uma das contas está no nome de Cláudia e tem Danielle como beneficiária, o caso foi enviado ao juiz Sérgio Moro, em Curitiba. A família, no entanto, espera ser julgada pelo Supremo Tribunal Federal, em Brasília.

Notícias relacionadas