menu

Brasil

19/04/2014


Na Bahia, prisão de líder de Movimento pode levar à nova greve de policiais

CONFLITO

Após especulações de uma nova greve da Polícia Militar, até o final da noite desta sexta-feira, 18, nada ficou definido. Cerca de 200 policiais estiveram reunidos, até por volta das 22h30, na Praça Municipal na expectativa da deflagração de uma nova greve. O diretor da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares no Estado (Aspra) Ivan Leite, foi à Praça Municipal e informou aos policiais presentes que poderiam ir para casa, pois não há comando para a greve.

O clima foi tenso durante todo o dia, desde a prisão de Marco Prisco presidente da Aspra, na tarde desta sexta, por determinação do Ministério Público Federal.

Enquanto policiais procuravam se organizar para dar uma resposta ao ocorrido, a população voltava a sentir o clima de insegurança com postagens nas redes sociais. A situação ficou ainda mais preocupante depois que o deputado Capitão Tadeu informou ter assumido o comando do movimento e pediu para os policiais suspenderem as atividades.

Contudo não houve registro de arrastões, saques, vandalismos na cidade. Mas novos desdobramentos podem acontecer neste sábado, 19.

A TARDE

Notícias relacionadas