menu

Pernambuco

29/05/2015


Ônibus voltaram a circular às 11h, garante presidente do sindicato

Os ônibus voltaram a circular normalmente pelas ruas da Região Metropolitina (RMR) às 11h. Pelo menos foi o que afirmou, no final da manhã desta sexta-feira, o presidente do Sindiato dos Rodoviários, Benilson Custódio. Segundo ele, a categoria está satisfeita com a adesao de 100% dos trabalhadores à mobilização, iniciada à zero hora. No entanto, a reportagem do Diario de Pernambuco circulou pelas ruas do Recife e, até as 11h50 não encontrou nenhum coetivo circulando em diversas viuas, como as Avenidas Cruz Cabugá, Conde da Vista e no bairro do Pina.
Ainda de acordo com o líder sindical, a classe continua convocada a particoipar da passeata, marcada para deixar a Avenida Cruz Cabugá às 14h em direção à Avenida Conde da Boa Vista. Mas os coletivos estarão operando normalmente, cabendo aos trabalhadores que estão fora o horário de serviço, engrossar a caminhada. No início da manhã, terminais e paradas de ônibus ficaram lotadas de passageiros, enquanto os ônibus permaneciam nas garagens das empresas.

O anúncio foi feito após o Grande Recife Consórcio de Transporte, responsável por gerir o transporte público por ônibus da Região Metropolitana do Recife (RMR) informar que acionará ainda hoje o Ministério Público do Trabalho sobre a paralisação. Segundo eles, a mobilização, promovida pelo do Sindicato dos Rodoviários, acontece sem aviso prévio, enquanto a legislação obriga, em casos de greve, que seja disponibilizada 30% da frota de ônibus para a população.A categoria comemora uma adesão de 100% dos trabalhadores ao Dia Nacional de Paralisação e Manifestações, convocada por centrais sindicais em todo o país para protestar contra as Medias Provisórias 664 e 662 (que alteram o acesso a direitos trabalhistas) e o Projeto de Lei 4330 (que regulamenta os contratos de trabalhadores terceirizados).

Anteriormente, acreditava-se que a paralisação duraria de 24 horas e os ônibus só deixariam as garagens às 23h30 para fazer as linhas do horário bacurau. À tarde, os rodoviários participam do protesto convocado pelas centrais sindicais do estado. A mobilização está marcada para às 14h, em frente à Federação das Indústrias de Pernambuco (Fiepe), na Avenida Cruz Cabugá, bairro de Santo Amaro, centro do Recife. O Dia Nacional de Paralisação e Manifestações, convocada por centrais sindicais em todo o país para protestar contra as Medias Provisórias 664 e 662 (que alteram o acesso a direitos trabalhistas) e o Projeto de Lei 4330 (que regulamenta os contratos de trabalhadores terceirizados).

Metrô – Depois de operar parcialmente no horário de pico, das 5h às 9h, o metrô do Recife parou e só deve voltar à atividade, das 16h às 20h desta sexta-feira. Os trens estão sendo operados por supervisores, uma vez que os metroviários estão em paralisação de 24 horas. A categoria aderiu ao Dia Nacional de Paralisação contra o Projeto de Lei 4.330. A proposta, em votação no Senado, prevê a ampliação da terceirização. O protesto também é relativo a medidas provisórias que alteram aposentadorias e mexem no seguro-desemprego e pensões previdenciárias. As MPs também tramitam no Congresso.

Na Estação Central do Metrô, passageiros relataram pouco número de usuários. A estudante Girlane Lima saiu de Cavaleiro, onde mora, uma hora mais cedo e sentiu a pouca movimentação. Às 13h30, os metroviários se concentram na Estação Central para de lá seguirem em caminhada até a Avenida Cruz Cabugá, de onde partirá uma passeata de trabalhadores de diversas categorias pela Conde da Boa Vista e Rua Princesa Isabel.

Contra o quê eles protestam? Saiba o que dizem as Medidas Provisórias 664 e 662 (que alteram o acesso a direitos trabalhistas) e o Projeto de Lei 4330 (que regulamenta os contratos de trabalhadores terceirizados):

O PL-4330, que tramita no Congresso Nacional, tem provocado um amplo e polêmico debate por conta da perda de direitos trabalhistas, defendida pelas centrais sindicais. Segundo a CUT, em todo o processo de tramitação do PL-4330 a central intensificará a pressão para que o projeto seja barrado no Congresso Nacional. Carlos Veras, presidente da CUT-PE, afirma que os trabalhadores perdem muito caso a projeto seja regulamentado, já que a proposta permite que as empresas contratem trabalhadores terceirizados para exercer qualquer função. "Na atualidade, esse tipo de contratação é permitida apenas para a atividade-meio, como setores de segurança e limpeza de empresas. Vamos parar o Brasil e intensificar nossa luta para não acabarem com os nossos direitos, como concurso público, férias, 13º salário, FGTS", afirmou Veras. De acordo com ele, o PL-4330 vai na contramão das aspirações da sociedade brasileira.

A MP 664, de autoria do Poder Executivo, estabelece novas regras para concessão do auxílio doença e pensão por morte. A medida altera as Leis nº 8.213, de 24 de julho de 1991, nº 10.876, de 2 junho de 2004, nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, e a Lei nº 10.666, de 8 de maio de 2003.
Já a MP 662 abre crédito extraordinário, em favor da empresa estatal Telecomunicações Brasileiras S.A. – Telebrás, no valor de R$ 404.755.786. Também é de autoria do Poder Executivo.
 

Diario de Pernambuco

Notícias relacionadas