menu

Internacional

01/03/2020


OPINIÃO: Europa começa revisar história recente do Brasil homenageando Lula, diz Walter Santos

Como e por que a Europa inicia na 2ª feira, 2, a revisão da biografia e história de Lula no mundo, apesar da ultra-direita brasileira ter consolidado Golpe

Quando segunda-feira, 2, chegar a Europa deflagra a partir de Paris uma série de eventos de alto valor simbólico politicamente reparando na prática cenas de perseguição incomum de setores sociais do Brasil no trato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por sua real contribuição dada ao mundo em face de uma série de políticas econômico-sociais exemplares, mesmo diante do ódio da Elite brasileira.

É preciso observar que a aprovação do título de Cidadão Honorário de Paris foi concedido pelo Conselho da cidade (equivalente à Câmara Municipal) dia 3 de outubro de 2019 formalizado pela prefeita Anne Hidalgo, cuja honraria “ reconhece o legado de Lula no combate à miséria e sua luta contra a fome”, quando ele ainda estava preso em Curitiba.
Como se sabe, Lula somente foi libertado em 8 de novembro de 2019, após decisão do Supremo Tribunal Federal brasileiro, tendo cumprido 580 dias de detenção na sede da Polícia Federal de Curitiba.

Ora, se tudo isto é verdadeiro a França protagoniza internacionalmente com este ato o reconhecimento do legado e inocência de Lula, apesar da trama liderada por Sérgio Moro para impedir a eleição do líder petista em nome internacional da ultra-direita de acordo pró Bolsonaro. É simples de entender assim.

MARIELLE VIVE

Ressalte-se ainda que, enquanto Moro e Bolsonaro agem para encobrir os autores da morte da vereadora Marielle, Paris permite visita de Lula, Dilma Rousseff e Fernando Haddad ao Jardim Marielle Franco inaugurado em setembro de 2019 no 10º distrito da capital francesa, em homenagem à vereadora e ativista de direitos humanos brasileira, assassinada em março de 2018 no Rio de Janeiro.

Na prática, enquanto o presidente, o ministro da Justiça e os filhos de Bolsonaro agem para encobrirem a verdade do assassinato, a França e sua capital de força histórica expõem para o mundo a realidade nefasta do novo tempo no Brasil. É como querendo dizer ao Planeta: estes escândalos precisam ser apurados e punidos.

COM LIDERES RELIGIOSOS ( EVANGÉLICOS) E SINDICAIS DA EUROPA

O ex-presidente tem uma série de encontros na Europa previstos com diversas lideranças políticas da França, além de intelectuais e organizações franco-brasileiras.

Só que, segundo a agenda, na sequência, ele parte na quarta-feira, 5, para Genebra onde fica até o dia 9 se reunindo com representantes sindicais e representantes do Conselho Mundial das Igrejas (CMI), entre elas de evangélicos congregando mais de 340 igrejas em mais de 120 países.

Conforme a agenda, em Berlim, a partir do dia 9, Lula deve se reunir com lideranças políticas e representantes do movimento sindical alemão. Nesse mesmo dia, o ex-presidente participa ainda do Encontro em Defesa da Democracia no Brasil, um ato público em que deve encontrar representantes dos comitês internacionais Lula Livre.

SINTESE

Em que pese a agenda negativa e contraproducente da grande mídia nacional por ter sido parte fundamental do Golpe elegendo Bolsonaro para depois se arrepender, o fato é que a História com H maiúsculo começa a ser contada pela verdade sem manipulação a partir do exemplo histórico da França.

Lula sobrevive com honraria e reconhecimento internacional , enquanto o presidente do Brasil se desmonta por sua própria história frágil de ser.

Notícias relacionadas