menu

Brasil

10/02/2020


OPINIÃO: Walter Santos exalta imensa contribuição de Prof. Lynaldo Cavalcanti à C&T do Brasil e a amargura com injustiça

Requéim para Prof. Dr. Lynaldo Cavalcanti ainda sem o reconhecimento do seu tamanho; seu acervo resiste com injustiças

Para os homens e mulheres de transformação e ética do Brasil

O Brasil, muito mais do que a Paraiba, até a presente data não se manifestou à altura da imensa dimensão de educador, inovador e gestor primoroso na condução do ensino superior brasileiro do Professor Lynaldo Cavalcanti de Albuquerque, ex-presidente do CNPQ ,ex-reitor revolucionário da UFPB, e de algumas das mais importantes instituições de pesquisa no mundo da Ciência e Tecnologia de todo País, a partir de Brasilia.

Grandes estudiosos de diversos paises foram chamados por ele em toda as áreas imagináveis – das ciências humanas, letras, artes (ele impulsionou a Orquestra Sinfônica da Paraiba a estar entre as 3 melhores e de criar o Depto de Música da UFPB, um dos melhores do Pais) às ciências exatas, universo da saúde, da tecnologia farmacêutica, incluindo as engenharias, em especial a elétrica, o segmento de TI, etc, transformando em vanguarda a Universidade brasileira. São Paulo, Campinas, por exemplo, atestam isso como os demais estados.

C&T SE IMPULSIONARAM COM NUNCA NO PAÍS

Poucos professores universitários deram tanto impulso e superdimencionamento à CAPES e sobre CNPQ como ele, ex-dirigente dessas instituições como Professor Lynaldo Cavalcanti transformando as Universidades Públicas Brasileiras no comando de 82% das pesquisas exitosas do Brasil.

Em que pese sua imensa transformação consolidada, poucas são as homenagens ” pós mortis ” prestadas ao Professor Lynaldo, morto angustiado com a injustiça de ver seu nome aprovado em certames oficiais, mas que, num caso específico no ABIPTI, “manobraram” para lhe perseguir, ao invés de aplaudir sua conduta como fizeram a auditoria do MC&T e o SESUR do TCU.

GRANDE HOMEM DE PATRIMÔNIO MATERIAL PEQUENO

Embora tenha sido singular em favor da Ciência e da Tecnologia do Brasil morreu como Professor de Classe Média sem grandes patrimônios, exceto sua imensa capacidade de gestão, que sempre agira com rigor ético e competência afastando -se de desvios.

Esta é, aliás, a história da maioria dos docentes decentes do Pais.

Se tudo isto é verdade e se comprova facilmente, por que querer manter a “punição injusta” pós morte deste grande brasileiro, ao invés de reconhecer sua enorme qualidade professoral de ousado e transformador?

A HORA DE RECONHECÊ-LO

O Brasil e a Paraiba precisam se redimir! Chega de omissão e nunca mais injustiça contra Professor Lynaldo Cavalcanti de Albuquerque.

Notícias relacionadas