menu

Sergipe

24/03/2015


Padre é condenado por estupro recorrente; menor tinha 12 anos

A Justiça sergipana condenou o padre Márcio Gonzaga de Lima, de 47 anos, por estupro de vulnerável, crime considerado hediondo. O pároco ligado à Diocese de Propriá foi indiciado em fevereiro de 2013 e, na época, o caso veio a conhecimento por meio de uma denúncia anônima.

O juiz Fernando Luís Lopes Dantas, da 1ª Vara Cível e Criminal da Comarca de Nossa Senhora da Glória, anunciou a condenação. A sentença ainda não foi divulgada e o advogado, José Carlos dos Santos, diz que decisão cabe recurso.

Na ocasião em que o crime foi revelado, em depoimento à polícia, a vítima, um garoto de 12 anos, confirmou o abuso. Em relato, a mãe do menino afirmou que os abusos vinham aconteciam desde agosto de 2012 e eram realizados em vários locais, incluindo a própria igreja e um apartamento pertencente ao religioso na zona sul de Aracaju.

O bispo da Arquidiocese de Propriá, Dom Mário Sivieri, disse que irá informar ao Papa Francisco, a quem caberá as decisões sobre o destino do padre Márcio Gonzaga.

Notícias relacionadas