menu

Ceará

12/08/2015


Parceria para revitalizar Centro de Fortaleza deve ser executada em 2016

A Prefeitura de Fortaleza espera colocar em prática no primeiro semestre de 2016 o projeto de Desenvolvimento Urbano do Centro da Cidade. Uma Operação Urbana Consorciada (OUC) prevê a revitalização da região e a recuperação do ambiente de comunidade do bairro. “Vamos estimular um novo tipo de ocupação para o Centro que envolve educação e visão econômica mais planejada. Quanto mais conciliar atividades cotidianas com o comércio, geramos mais adensamento. E isso se consegue com um misto de atividades como habitação, que gera ocupação, vida fora do horário expediente”, explica o prefeito Roberto Cláudio em entrevista ao O POVO.

Fazer o Centro voltar a ser local de moradia é um dos principais pontos do projeto. Uma OUC, nos moldes da que pretende-se implementar no Centro da cidade, é um processo que visa transformações urbanísticas, sociais e ambientais em áreas degradadas ou subutilizadas. “A dinâmica atual de ocupação do Centro caracterizado pela predominância do comércio popular, guarda estreitas relações com o processo de expansão urbana da Cidade e o surgimento de novas centralidades. No decorrer desse período o Centro deixou de ser local de poder, de diversão e moradias de elites, dando lugar ao comércio popular, com parcela significativa de informalidade e de risco”, analisa Reinaldo Salmito, coordenador executivo da Coordenadoria de Programas integrados da Prefeitura (Copfor), responsável pelo Projeto.

Também em entrevista ao O POVO, o governador Camilo Santana contou que uma das iniciativas pensadas é construir edifícios residenciais sobre comércios. “Permitir às pessoas morarem mais próximas de onde trabalham. Aproximar essa distância é um desenho importante”. O modelo é adotado em diversas cidades do mundo, resultando em uma forte vida comunitária nas áreas centrais. Ainda segundo Reinaldo, a alternativa ao uso de ocupação do solo com habitações sobre comércios é considerada na medida que mantém uma escala compatível com as saudáveis relações humanas e sociais, além de promover uma maior economicidade, potencializa o uso de suas infraestruturas urbanas.

“Nosso centro é caracterizado por ser uma área subtilizada já que pode ser devolvido ao cidadão fortalezense pleno de vitalidade urbana, diuturnamente com espaços públicos renovados, moradia diversificada em tipologias, economia dinamizada, patrimônio histórico valorizado, com acessibilidade e mobilidade que permitam a boa circulação interna e externa, dentre outros benefícios”, avalia Águeda Muniz, titular da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma).  

Paula Lima
O Povo

Notícias relacionadas