menu

Brasil

13/08/2015


Parentes acompanham corpos de participantes da Marcha das Margaridas

Parentes das duas participantes da Marcha das Margaridas que morreram ontem (12), de causas naturais, estão em Brasília para acompanhar o traslado dos corpos aos estados de origem das trabalhadoras. Maria Pureza, que veio de Sergipe, foi vítima de ataque cardíaco e Maria Alzenir, do Piauí, sofreu um acidente vascular cerebral. Na manhã de hoje (13), organizações sociais fizeram homenagem a elas.

O marido de Maria Alzenir e o filho de Maria Pureza participaram da homenagem na sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), que organizou a Marcha das Margaridas. Na presença de integrantes da Contag e de outros movimentos sociais, o filho de Maria Pureza falou sobre a militância da mãe e sobre seu desejo de participar da marcha.

As famílias estão recebendo apoio da Contag: a organização irá custear o transporte dos corpos. O de Maria Alzenir segue para o Piauí na noite de hoje. A Contag não soube informar quando o corpo de Maria Pureza será transportado para Sergipe.

Ao discursar no encerramento da marcha, na tarde de ontem (12), a presidenta Dilma Rousseff lamentou o falecimento das “duas margaridas”.

A Marcha das Margaridas, mobilização de mulheres trabalhadoras rurais de todo o país, ocorre a cada quatro anos. Ontem, elas caminharam pela Esplanada dos Ministérios e chegaram até o Congresso Nacional com reivindicações ligadas aos direitos das mulheres, melhorias da vida no campo e fortalecimento da democracia.

A estimativa da organização é que o evento tenha reunido 70 mil pessoas na capital federal. Para a Polícia Militar, 35 mil pessoas estiveram presentes. A 5ª edição da marcha teve como tema Margaridas seguem em marcha pelo desenvolvimento sustentável com democracia, justiça autonomia, liberdade e igualdade.

Notícias relacionadas