menu

Pernambuco

29/03/2016


Paulo Câmara libera 4 secretários para votar a favor do impeachment

Com o PMDB desembarcando da base governista e a sombra do afastamento da presidente Dilma Rousseff cada vez maior, parlamentares afastados dos cargos a que foram eleitos e que estão ocupando cargos no Executivo agora querem assumir o protagonismo na corrida pelo impeachment. Somente em Pernambuco, quatro secretários estaduais que têm mandato de deputado federal devem pedir demissão para voltar à Câmara e votar a favor do afastamento de Dilma. Após cumprirem "a tarefa" eles deverão retornar aos seus respectivos cargos no governo.

O aval para a saída dos secretários foi dado nesta semana pelo governador Paulo Câmara (PSB). Com a sinalização positiva os secretários de Planejamento, Danilo Cabral, Turismo, Felipe Carreras, Cidades, André de Paula, deverão retomar suas atividades parlamentares às vésperas da votação do impeachment. O secretário dos Transportes, Sebastião Oliveira, deverá se reunir com o governador nesta quarta-feira (29) para tratar do assunto.

Embora o PSB ainda não tenha definido oficialmente que votará pelo impeachment da presidente, Danilo Cabral e Felipe Carreras já anunciaram que votarão pelo seu afastamento. André de Paula, que integra o PSD, já sinalizou que também deverá votar pelo impeachment, apesar da legenda permanecer na base aliada. Já Oliveira diz que deverá definir o seu voto somente após conversar com a direção nacional do PR.

Com a saída relâmpago dos secretários e os seus respectivos retornos à Câmara, os suplentes Augusto Coutinho (SD), Cadoca (sem partido), Raul Jungmann (PPS) e Fernando Monteiro (PP) perderiam temporariamente a vaga. Tanto Coutinho como Jungmann são favoráveis ao impeachment. Já Cadoca e Monteiro ainda não se posicionaram sobre o assunto.

Notícias relacionadas