menu

Brasil

23/07/2015


Paulo Paim crítica a terceirização: “Nem a ditadura ousou projeto”

O senador Paulo Paim (PT-RS) esteve na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), na tarde desta quinta-feira (23), participando de uma audiência pública para debater o Projeto de Lei Complementar 30/15, que dispõe sobre os contratos de terceirização e as relações de trabalho, já aprovado na Câmara Federal e em discussão no Senado.

Na oportunidade, Paulo Paim afirmou que o projeto da terceirização, que ficou 11 anos engavetado no Congresso Nacional, foi votado de forma atropelada sem nenhum debate na Câmara dos Deputados. "De todos os estados que passei, os trabalhadores não se interessam pela aprovação desse projeto", disse o senador gaúcho. Ele tem percorrido vários Estados para debater o tema.

O senador ressaltou ainda que nem a ditadura teve a ousadia de apresentar um projeto como este. "Em todos os estados que passei, a opinião da classe trabalhadora é unânime quanto à reprovação deste projeto", afirmou.

Também presente a audiência, o deputado federal Luiz Couto (PT-PB) falou sobre a votação do projeto na Câmara dos Deputados. "Esperamos que este projeto tenha outro tratamento no Senado. "Essa terceirização escraviza os trabalhadores, além de mutilar e matar o concurso público", ressaltou.

Carta da Paraíba
Ao final da audiência, foi lida para todos a “Carta da Paraíba”, um documento que o senador vai levar para Brasília demonstrando toda a insatisfação da população do Estado com a aprovação do projeto.

O texto é um repúdio ao projeto, pois sugere uma radical reforma trabalhista e tira direitos dos trabalhadores. “Essa forma de contratar expõe o trabalhador. A terceirização joga a CLT no lixo. É contra toda a sociedade, que vivenciará uma forma redução do mercado interno”, diz o documento. 

Notícias relacionadas