menu

Brasil

13/01/2015


Petistas cearenses repudiam críticas de Marta Suplicy

CEARÁ

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) voltou a causar polêmica, nesta semana, ao criticar lideranças políticas do Partido dos Trabalhadores e a administração da presidente Dilma Rousseff. Postura que desagradou petistas de peso no Ceará. “A gente não tem de ficar discutindo esses problemas. Ela (Marta) sempre teve papel relevante no PT. Não sei explicar as razões dessas colocações. Foram falas muito duras contra o PT”, disse o vice-líder nacional, deputado José Guimarães.

O presidente do PT Ceará, Francisco de Assis Diniz, disse que há “ressentimento e um rancor grande”. Para ele, as críticas não foram de ordem administrativa do partido, mas questões políticas. “Ela quer ter condições de sair do PT”, frisou. Na entrevista, Marta disse ainda não ter definido se deixará o PT, mas “tem portas abertas”.

“A gente viu esse filme com a então senadora Marina Silva, com a deputada Luiza Erundina… Isso faz parte de algo que acaba sendo ruim, porque ela (Marta) atira nos dirigentes e faz parte do núcleo duro da elite paulistana dentro do PT”, acrescentou. Sobre a afirmação de que o PT “ou muda ou acaba”, pontuou que não só o partido como toda a política brasileira necessitam passar por mudanças.

“O partido não pode mais conviver com situação desse tipo em que as pessoas são irresponsáveis com sua conduta pública. Ela (Marta) faz um desserviço à posição do partido”, disse o presidente do PT Fortaleza, Elmano de Freitas.


Se preparando para sair

Nacionalmente, apesar das tentativas da cúpula do partido de evitar comentários sobre as acusações, a entrevista desagradou petistas que tentaram ontem, minimizar os ataques e a acusaram de estar formando bases para sair do PT. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Marta chamou o presidente nacional do PT, Rui Falcão, de “traidor”, definiu a política econômica de Dilma como um fracasso, insinuou o rompimento de relações entre Dilma e o ex-presidente Lula, desfiou acusações contra o ministro da Casa Civil, Aloízio Mercadante, e o da Cultura, Juca Ferreira, e disse que “ou o PT muda ou acaba”.

As assessorias de Falcão e de Lula informaram que eles não se pronunciariam sobre as declarações. A ordem interna era manter o silêncio para evitar polêmica. Mercadante também não se pronunciou.

 

Denúncias à CGU

Juca Ferreira foi acusado por Marta de ter cometido “desmando e irregularidades” em sua primeira passagem pelo MinC. Marta enviou à Controladoria-Geral da União documentos sobre supostas irregularidades em convênios feitos por Ferreira.

“Complô”

Na entrevista, Marta disse que Mercadante “é inimigo” e tem “complô” com Rui Falcão e João Santana (marqueteiro de Dilma) “para barrar Lula”
Apesar das declarações fortes, essa não foi a primeira polêmica na qual a ex-ministra se envolveu. Atitudes polêmicas, frases fortes e até relações amorosas da política já foram manchete de jornal.


Em 2007, quando ministra do Turismo, em pleno caos aéreo, ao ser questionada sobre que incentivo teria o brasileiro para viajar, ela disse “relaxa e goza, porque depois você vai esquecer todos os transtornos”.

  (Do O Povo Online)

Notícias relacionadas