menu

Sergipe

05/07/2016


Petrobras anuncia novo modelo de exploração em Sergipe

O governador Jackson Barreto esteve reunido nesta segunda-feira (4) com o presidente da Petrobras, Pedro Parente, que veio a Sergipe anunciar um novo modelo de exploração de petróleo no Estado envolvendo a participação de pequenas e médias empresas.

Esse novo modelo será aplicado na exploração de poços em águas rasas e em campos terrestres.

Parente salientou que a exploração em águas profundas e no campo de Carmópolis continuará sob a responsabilidade da Petrobras.

Ele disse ainda que esse novo modelo vai garantir mais investimentos no setor em Sergipe, desta feita, pela iniciativa privada.

O governador fez a leitura de um documento que entregou a Pedro Parente demonstrando sua preocupação no que diz respeito ao processo de desinvestimento que a Petrobras irá realizar no estado. Ele mostrou por meio de dados a importância da Petrobras na economia de Sergipe sendo responsável por 40% do PIB industrial do Estado.

JB fez uma fala de defesa dos empregos gerados nos diversos segmentos que estão envolvidos na exploração do petróleo e gás.

Parente apresentou números para justificar o desinvestimento da empresa em Sergipe. Segundo ele, a empresa possui uma dívida que representa cinco vezes a sua receita de um ano, o que demonstra que está sem condições de fazer investimentos próprios pois para alavancar a empresa vai precisar buscar recursos e esses custos inviabilizam as operações.

"É uma questão que envolve a sobrevivência da Petrobras que pretende fechar o ano com U$21 bilhões em caixa se realizar o desinvestimento de U$ 14 bilhões", informa texto enviado pela Secretaria da Comunicação do Estado.

"Caso não faça essa manobra, acabaria o exercício com apenas U$ 7 bilhões, o que para uma empresa como a Petrobras que atua em um mercado gigante, torna sua operação muito arriscada, até mesmo inviável", complementa.

Questionado pelo governador, o presidente da Petrobras afirmou que ainda não há decisão sobre desinvestimentos junto à Fafen e ao Porto de Sergipe.

Parente aproveitou para comunicar que a empresa vai realizar estudos técnicos visando a execução de um plano de trabalho, em menor prazo de tempo possível, com relação ao poço de petróleo e gás na área da fábrica de cimento Apodi.

Jackson foi enfático em dizer que espera que esse processo se dê o mais rapidamente possível. "Não podemos esperar mais tanto tempo pra que Sergipe tenha um investimento de R$ 1 bilhão desta fábrica de cimento que vai gerar milhares de empregos na região de Santo Amaro das Brotas. Já não vamos ter investimentos da Petrobras e ainda corremos o risco de não ter o da fábrica de cimento. Não é possível", reclamou.

Parente disse que iria se empenhar pessoalmente na resolução desta questão o mais breve possível. Ele também disse que está descartada a transferência da gerência da Petrobras em Sergipe e que não existe nenhum estudo nesse sentido.

Notícias relacionadas