menu

Alagoas

27/03/2015


PF pede prisão preventiva de advogados acusados de receber propina

A situação dos advogados acusados de receber propina para beneficiar uma decisão judicial conseguiu ficar ainda mais complicada. A Polícia Federal pediu a preventiva de Júlio César Castro e do procurado de Marechal Deodoro Jorge Augusto Granjero Carnaúba. Os advogados foram detidos em flagrante recebendo o valor de R$ 100 mil que seriam usados para ‘facilitar’ a soltura de Janadaris e Sérgio Sfredo, acusados de participação na morte do também advogado Marcos André Deus de Félix.

A PF monitorou os passos dos advogados que teriam combinado o montante de R$ 200 mil para beneficiar o casal. A polícia não dá detalhes de como os advogados influenciariam a decisão que cabe a um magistrado – que também não teve o nome divulgado pela polícia.

A metade do dinheiro foi repassada na quinta-feira (26) em um posto de combustíveis na Praia do Francês, em Marechal Deodoro, onde foi realizado o flagrante. A outra metade seria paga depois do julgamento.

O que causa estranheza é que a denúncia do pagamento de propina foi feita pela própria acusada (Janadaris). A partir disto, a PF assumiu a investigação do crime e pretende descobrir se esquemas como este são uma prática em Alagoas.

Os advogados devem responder pelo crime de exploração de prestígio na forma qualificada, uma vez que o montante seria, em tese, entregue ao magistrado que julgaria o caso.

A dificuldade agora é encontrar uma cela especial para os advogados – garantia da lei. A falta da cela no estado pode resultar na permanência dos acusados na carceragem da PF.

 

Fonte: Alagoas 24h

Notícias relacionadas