menu

Pernambuco

30/10/2014


PF prende suspeitos de fraudes na Previdência Social em Pernambuco

Treze pessoas foram presas hoje (30) pela Polícia Federal (PF) em Pernambuco suspeitas de participação em uma organização criminosa que pode ter causado um prejuízo superior a R$ 12 milhões à Previdência Social. A quadrilha falsificava documentos para a recuperação de ativos tais como, veículos, bens imóveis, valores e motos aquáticas, provocando rombo mensal em torno de R$ 200 mil.

De acordo com a PF, foram cumpridos na Operação Omni, 51 mandados judiciais, sendo seis de prisão preventiva, sete de prisão temporária e 38 de busca e apreensão nos municípios pernambucanos de Garanhuns, Canhotinho, do Recife, de Tamandaré, Caruaru, Bezerros e de São Caetano, além de Maceió (AL) e praia da Pipa, em Tibau do Sul (RN).

Também são alvos da operação, segundo a PF, duas contadoras, um advogado, três servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e dois funcionários da prefeitura de Garanhuns (PE) que estão cedidos para uma agência do INSS no município de Canhotinho. Também é investigada a participação de laranjas no esquema.

As investigações, que tiveram o apoio do Ministério da Previdência Social e do Ministério Público Federal, identificaram que a quadrilha era comandada por um empresário de Caruaru (PE). Ainda foi identificado um esquema de lavagem de dinheiro por meio de uma rede de postos de combustíveis que estavam sob intervenção judicial.

Em latim, o termo Omni significa onipresente que, segundo a PF, faz referência aos beneficiários que estariam vivos e mortos ao mesmo tempo.

 

(Da Agência Brasil)

Notícias relacionadas