menu

Brasil

22/11/2013


Piauí é o quarto em crescimento de número de empregos

PIAUI

Em outubro, o desempenho do Piauí na geração de empregos com carteira assinada foi o terceiro maior do Nordeste e o quarto melhor do país. O crescimento de empregos formais foi de 0,94% em relação ao mês de setembro e de 4,79% no acumulado do ano. Os dados integram o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados pela Superintendente Regional do Trabalho no Piauí, Paula Mazullo.

Segundo dos dados, o Piauí perdeu apenas para o Estado do Alagoas, Sergipe e Amazonas, que registraram crescimento de 4,65%, 1,72% e 0,96%, respectivamente. Em outubro foram gerados, no Piauí, 2.604 novos postos de trabalho. O desempenho positivo ficou por conta dos setores de serviços, que ampliou em 740 seus novos postos de trabalho, seguido da Construção Civil, que empregou 713 novas pessoas e do Comércio, que contratou 573 novas frentes de trabalho.

Fazendo o acumulado dos 10 primeiros meses do ano, foram gerados 12.882 novos postos de trabalho. Segundo a superintendente Paula Mazullo, os dados mostram o panorama da atividade econômica do Estado. “O Piauí ainda tem uma capacidade baixa de empregabilidade, mas os números são positivos, sobretudo se comparado com outros Estados do Nordeste”, comentou, lembrando ainda que a iniciativa pública ainda é a responsável pelas maiores contratações no Estado.

A superintendente chamou atenção para a oferta de empregos no setor de serviços. “Estão mudando os hábitos e relações de consumo. Então, há o crescimento do número de empresas prestadoras de serviços e, consequentemente, mais contratações para atender a demanda”, sustenta.

Fazendo um comparativo com o mês de outubro dos últimos 10 anos (2003-2013), 2013 registrou o maior volume na contratação de novos empregados com carteira assinada, com um saldo positivo de 2.604, contra 3.046 registrados em 2010.

Em relação ao número de municípios que mais empregam, Teresina continua liderando. Em outubro, a capital contratou 6.901 pessoas e demitiu 4.950 pessoas, gerando um saldo positivo de 1.951 postos de trabalho. Picos, Floriano e Altos foram os municípios que, após Teresina, registraram o maior número de geração de empregos em outubro. “Isso se justifica porque Teresina possui a maior densidade populacional, além de ser a cidade onde acontece os maiores negócios por concentrar o maior número de indústrias”, pontua Mazullo.

Por outro lado, municípios como Parnaíba, União, Oeiras e Pedro II, registraram desempenho negativo, demitindo mais pessoas do que as contratadas. Fazendo um apanhado nacional, os números do Caged apontam que, em outubro de 2013, foram gerados 94.893 empregos celetistas, equivalentes à expansão de 0,23% no estoque de assalariados com carteira assinada do mês anterior. Os setores que contribuíram para esse resultado foram o Comércio, Indústria de Transformação e de Serviços.

 

O Dia

Notícias relacionadas