menu

Pernambuco

03/02/2016


Polícia Civil entra em greve durante o carnaval

Os 5,3 mil homens da Polícia Civil de Pernambuco decidiram entrar em greve às vésperas do Carnaval. A categoria decidiu paralisar as atividades em uma assembleia realizada na noite desta terça-feira (2). A paralisação está prevista para ter início a partir da 0h do Sábado de Zé Pereira, data do desfile do Galo da Madrugada.

O Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) alega que o Governo do Estado descumpriu o acordo firmado em dezembro do ano passado. Segundo a categoria, o Governo Estadual não encaminhou à Assembleia Legislativa o projeto de lei que prevê a reestruturação do Plano de Carreiras e Vencimentos, que alteraria as faixas de progressão dos atuai 1,5% para 2% e que poderia vigorar já a partir de abril.

Segundo o Sinpol, todos os serviços desenvolvidos pela Polícia Civil deverão ser paralisados, com exceção dos registros de flagrantes. A categoria adiantou que irá respeitar o prazo legal de 72 horas para deflagrar o início da greve e que irá manter o efetivo mínimo de 30% necessário para manter as atividades essenciais. O Governo do Estado só deverá se pronunciar após ser comunicado oficialmente da decisão dos policiais civis.

A categoria deverá realizar uma manifestação pelas ruas do centro do Recife nesta quinta-feira (4).

 

Os 5,3 mil homens da Polícia Civil de Pernambuco decidiram entrar em greve às vésperas do Carnaval. A categoria decidiu paralisar as atividades em uma assembleia realizada na noite desta terça-feira (2). A paralisação está prevista para ter início a partir da 0h do Sábado de Zé Pereira, data do desfile do Galo da Madrugada.

O Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) alega que o Governo do Estado descumpriu o acordo firmado em dezembro do ano passado. Segundo a categoria, o Governo Estadual não encaminhou à Assembleia Legislativa o projeto de lei que prevê a reestruturação do Plano de Carreiras e Vencimentos, que alteraria as faixas de progressão dos atuai 1,5% para 2% e que poderia vigorar já a partir de abril.

Segundo o Sinpol, todos os serviços desenvolvidos pela Polícia Civil deverão ser paralisados, com exceção dos registros de flagrantes. A categoria adiantou que irá respeitar o prazo legal de 72 horas para deflagrar o início da paralisação e que irá manter o efetivo mínimo de 30% necessário para manter as atividades essenciais. O Governo do Estado só deverá se pronunciar após ser comunicado oficialmente da decisão dos policiais civis. A categoria deverá realizar uma manifestação pelas ruas do centro do Recife nesta quinta-feira (4).

Notícias relacionadas