menu

Alagoas

01/07/2015


Polícia Federal desarticula grupo de extermínio em Alagoas

A Polícia Federal (PF) prendeu hoje (1º), na Operação Tombstone, 11 pessoas suspeitas de integrar um grupo de extermínio que agia no município de Pilar, em Alagoas. Segundo o delegado regional de Combate ao Crime Organizado Fábio Maia a maioria das pessoas alvos do grupo eram criminosos, incluindo adolescentes. Destacou, no entanto, que entre as vítimas haviam pessoas inocentes.

Os assassinatos desses inocentes seriam para encobrir e manter o anonimato do grupo. As investigações da PF começaram em julho de 2014, a partir da análise da repercussão de casos de homicídios. Foram identificados 14 homicídios sem autoria entre o segundo semestre de 2013 e o primeiro semestre de 2014. “Acreditamos que ao menos dez foram praticados pelo grupo”, disse Maia.

O grupo de extermínio, integrado inclusive por policiais civis e militares, argumentava que as ações serviam para reduzir criminalidade local.

Foram expedidos pela Justiça de Alagoas 12 mandados de prisão temporária, um mandado de condução coercitiva e 18 mandados de busca e apreensão. Um mandado de prisão ainda está sendo cumprido. Além dos homicídios, o grupo também está envolvido com tráfico de drogas, roubos e com o comércio ilegal de armas e munições. Além de Alagoas, a PF também cumpre mandados em Sergipe, Bahia e Minas Gerais.

Segundo o delegado, um dos suspeitos tentou reagir à prisão e foi atingido por um tiro de raspão no abdmem. Ele foi hospitalizado e não corre risco de morte.

Os presos serão ouvidos na Superintendência da Polícia Federal em Alagoas e encaminhados ao complexo prisional. Eles responderão pelo crime de associação criminosa, homicídio, tráfico de drogas e comércio ilegal de armas e munições, de acordo com a participação de cada um.

O nome da operação faz referência ao filme Tombstone – A Justiça Está Chegando, de 1993.

Agência Brasil

Notícias relacionadas