menu

Pernambuco

21/08/2015


Polícia Federal realiza bloqueio para evitar protestos contra Dilma em Cabrobó

No momento em que amarga altos índices de avaliação negativa, a presidente Dilma Rousseff (PT), em visita ao estado de Pernambuco, contou com a ajuda da Polícia Federal. Agentes da PF realizaram um bloqueio na manhã de hoje na BR-428, na altura do quilômetro 20. A intenção da PF é evitar protestos como o último que aconteceu quando a petista esteve na cidade, em maio do ano passado. Na ocasião, Dilma também visitava as obras de Transposição do Rio São Francisco mas foi surpreendida por uma manifestação dos índios Trukas, que chegaram a realizar a dança do toré para chamar a atenção das autoridades.

Após três meses, a presidente volta a Pernambuco com o intuito de emplacar uma agenda positiva e estancar a perda crescente de popularidade diante da crise política e econômica do país. O ponto de partida será às 11h30, em Cabrobó, no Sertão, onde entregará a primeira estação de bombeamento do Eixo Norte da Transposição do Rio São Francisco, em fase de testes desde a semana passada. O governador de Paulo Câmara (PSB) estará na cerimônia.
À tarde, a chefe do Executivo virá ao Recife para dois encontros. O primeiro com empresários, na sede da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), o outro com movimentos sociais, na Blue Angel da Benfica. Essa será a terceira visita da presidente ao estado em 2015. Nas duas primeiras, veio para inauguração da fábrica da Jeep, em abril, e de navios petroleiros em Suape, em maio. Desde a última passagem, o cenário não sofreu grandes alterações.
As principais obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) continuam em ritmo lento ou paradas e, em meio a um jogo de empurra, o governo do estado atribui o problema à falta de recursos federais. As obras da transposição, que após vários adiamentos seriam entregues no fim deste ano, só deverão ficar prontas em meados de 2016. Neste mês, a previsão é que cheguem a 78%. No ano passado, a presidente esteve em Cabrobó para vistoriar o andamento das obras do eixo norte da Transposição. A passagem-relâmpago não durou mais do que 20 minutos. No local, encontrou manifestações que pediam mais investimentos na região.
No momento, Dilma tenta mostrar que o governo federal está reagindo e a agenda positiva de visitação de obras é uma destas iniciativas. O Planalto também iniciou articulações com o Senado para tentar reconquistar sua base no Legislativo. Somado a isso, começou a anunciar medidas para empresas que assumam o compromisso de não realizar demissões.
Empresariado

Parte dessas iniciativas deverão ser objeto da conversa que a presidente terá com cerca de 60 empresários de diversos setores na capital pernambucana. O encontro foi articulado pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro (PTB). Está prevista uma apresentação do petebista e dos ministros da Agricultura, Kátia Abreu, e do Planejamento, Nelson Barbosa, que falarão sobre as medidas que estão sendo tomadas pelo governo federal.

Para que nada saia do script da agenda positiva, o governo precisou agir rápido diante da decisão das associações de canavieiros do Nordeste de realizar um protesto na porta da Fiepe, onde haverá o encontro. O ministro Armando Monteiro intercedeu e a presidente Dilma vai abrir espaço na agenda para encontrar representantes do segmento, que cobram o não cumprimento da Lei 12.999/14, que estabeleceu subvenção aos trabalhadores.

Saiba Mais

191
é o número de contratos firmados do PAC em Pernambuco

R$ 7 bilhões
é o valor total dos contratos (incluindo os outros custos totaliza: R$ 7,7 bilhões)

69
são financiados através da Caixa Econômica Federal e representam um total de R$ 4 bilhões (incluindo os outros custos totaliza: R$ 4,7 bilhões)

22
contratos são firmados através de outros agentes financiadores totalizando quase R$ 3 bilhões. A maior representatividade é executada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do estado, com um montante de R$ 2,8 bilhões.

Obras importantes em andamento

Transnordestina
Região: Pernambuco e Paraíba

A intervenção é uma das mais problemáticas do PAC. Até fevereiro deste ano, apenas 22% das obras da Transnordestina estavam concluídas em todos os seus trechos. Problemas com as empresas responsáveis pelas obras atrasaram sua conclusão, antes prevista para 2007. A estrada de ferro que ligará o Sertão aos portos de Suape e Pecém (CE) só deverá ficar pronta agora no início de 2017.

Eixo Salgueiro – Trindade

Investimento
Previsto 2011-2014:
R$ 453,3 milhões
Previsto após 2014:
R$ 634,4 milhões

Eixo Salgueiro – Suape

Investimento
Previsto 2011-2014:
R$ 1.327 bilhão
Previsto após 2014:
R$ 927,5 milhões

Transposição do Rio São Francisco – Eixo Leste

Outra obra que sofreu constantes atrasos foi a da Transposição do Rio São Francisco. Em dezembro passado, o Ministério da Integração Nacional afirmou que a obra que levará água para 390 cidades do semiárido brasileiro estará pronta em meados de 2016. A obra está dividida em dois canais, os chamados eixos Leste e Norte, cujas obras iniciadas em 2007 estavam orçadas em R$ 4,5 bilhões (custo total em todos os estados). Pelo cronograma, os canais deveriam estar operacionais em 2010 e 2012.

Investimento
Previsto 2011-2014:
R$ 968,8 milhões
Previsto após 2014:
R$ 175 milhões

Duplicação das BRs 104 e 423
Região: Agreste Pernambucano

Duas vias importantes que ajudam a escoar a produção têxtil do Agreste também estão atrasadas. A obra de duplicação da BR-104 tinha prazo de conclusão para 2011, mas, até o momento, não foi concluída. Em julho, em uma audiência, foi tratada a retomada das obras que estavam paralisadas. O governo federal informou na ocasião que, no prazo de 45 dias, o DNIT aprovaria o edital para o restante da obra. A BR-423 também tinha prazo de conclusão para 2011, mas apenas um trecho foi finalizado. Foi necessário iniciar novo processo de licitação que vai ocorrer em dois lotes, com datas diferentes, através do Regime Diferenciado de Contratações Públicas (RDC). O primeiro trecho compreende entre São Caetano e Lajedo, outubro. O segundo lote vai de Lajedo até Garanhuns, com licitação prevista para janeiro de 2016. No total, serão duplicados 70 quilômetros.

Investimento
BR-104: R$ 226,7 milhões
BR-423: R$ 400 milhões o custo estimado da segunda etapa

Adutora do Agreste
Região: Sertão do Pajeú

A adutora do Agreste, obra que deverá beneficiar mais de 2 milhões de pessoas em 68 municípios pernambucanos, vem sofrendo com adiamentos no prazo de conclusão devido à retenção de repasse de verbas federais. A previsão inicial era de que ficaria pronta em junho de 2014. O Ministério da Integração Nacional, o grande financiador do projeto, prometeu repassar mensalmente R$ 10 milhões para que a obra não paralise por falta de verbas. A Compesa confirmou o recebido dos valores em junho e julho. Fazendo o cálculo básico, serão 80 meses para fechar a conta, ou seja, seis anos e meio para a conclusão da obra, se não sofrer novos atrasos e se não houver repasses mais volumosos daqui para lá

Investimento
Previsto 2011-2014:
R$ 583,3 milhões
Previsto após 2014:
R$ 800 milhões

Região: Agreste pernambucano

Adutora do Pajeú – 2ª Etapa

O Dnocs, responsável pela execução da obra, já afirmou neste ano que o repasse de recursos para conclusão da adutora estava atrasado há vários meses. No ano passado, Dilma veio a Pernambuco assinar as ordens de serviço para a obra que irá garantir água para 15 municípios pernambucanos e outros oito da Paraíba.

Investimento
Previsto 2011-2014:
R$ 75,6 milhões
Previsto após 2014:
R$ 87,3 milhões

Diario de Pernambuco 

Notícias relacionadas