menu

Brasil

04/07/2014


Ponto de Cidadania facilita inclusão de pessoas em situação de rua

Bahia

Orientar pessoas em vulnerabilidade social, inclusive as que estão em situação de rua, apresentando a elas a possibilidade de participarem de capacitação, inserção no mercado de trabalho, acesso a programas habitacionais, entre outras políticas públicas. Estas são algumas metas do Ponto de Cidadania implantado há cerca de uma semana na Praça Tiradentes, onde fica a escultura das Mãos, no bairro do Comércio, em Salvador.

Nesta quinta-feira (3), o secretário interino da Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH), Reginaldo Silva, e a superintendente de Prevenção e Acolhimento aos Usuários de Drogas e Apoio Familiar, Denise Tourinho, entregaram oficialmente o espaço. Lideranças do Movimento Nacional da População em Situação de Rua e outras autoridades também estiveram presentes.

De acordo com o secretário interino, “vamos convidar a pessoa para vir até o trailer [contêiner] onde será atendida por uma equipe multidisciplinar e poderá tomar banho, trocar de roupa”. Segundo ele, o atendimento inclui orientação para que deixe de viver em situação de rua. Caso aceite essa possibilidade, a pessoa será encaminhada a um abrigo viabilizado pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes). “O secretário Cezar Lisboa já providenciou [o abrigo]”, informou Reginaldo Silva.

Equipe multidisciplinar

As estimativas indicam que em Salvador existam quatro mil pessoas em situação de rua. Quem comparece ao contêiner, além de ser atendido pela equipe multidisciplinar, encontra um ambiente climatizado e recebe material para higiene pessoal (sabonete, escova de dente e creme dental). O local dispõe de dois banheiros – um tem pia e chuveiro.

Informar sobre os danos causados à saúde com o uso de substâncias psicoativas e auxiliar quem pretende abandonar a dependência química também faz parte da ação, que é integrada ao projeto ‘Corra para o Abraço’, do programa estadual Pacto Pela Vida, responsável por fazer a mobilização junto a esse grupo social.

A diretora de gestão da Superintendência de Prevenção e Acolhimento aos Usuários de Drogas e Apoio Familiar da secretaria, Emanuelle Silva, informou que 21 profissionais, entre psicólogos, enfermeiros, pedagogos, redutores de danos, antropólogos, sociólogos e assistentes sociais, participam das ações do Ponto de Cidadania e do ‘Corra para o Abraço’.

Ela também disse que, possivelmente no final deste mês, a ação será expandida e outro Ponto de Cidadania implantado na localidade de Pela-Porco, na Sete Portas. “Uma equipe do ‘Corra para o Abraço’ já atua na região da Aquidabã”, informou.

Avanço nas ações

Para a coordenadora Nacional da População em Situação de Rua na região Nordeste, Maria Lúcia Santos Pereira, o Governo do Estado avançou nas ações destinadas à população em situação de rua. “Temos a Lei da Política Estadual, o programa Bahia Acolhe e capacitação para as pessoas. Conseguimos atingir três municípios e agora estamos indo conquistar mais 12 para ter locais para capacitar as pessoas e políticas destinadas à população em situação de rua”.

Com os cabelos já grisalhos e olhar esperançoso, Paulo Roberto da Cruz é uma das muitas pessoas que vivem nas ruas de Salvador. Ele disse que o Ponto de Cidadania é o início de uma transformação na sua vida. “Gostaria de agradecer pelo projeto. Muitas pessoas não tinham um lugar para tomar banho e agora têm. O pessoal do ‘Corra para o Abraço’ é uns anjo [sic]. Se Deus quiser tudo vai dar certo. Não só para mim, mas para todos”. 

 

(Governo do Estado da Bahia)

Notícias relacionadas