menu

Maranhão

08/03/2016


Prefeito Ribamar Alves reassume cargo em Santa Inês

Ribamar Alves (PSB) reassumiu no inicio da tarde desta segunda-feira ao cargo de prefeito da cidade de Santa Inês, após o juiz Alessandro Figueiredo, do Juizado Especial Cível e Criminal da comarca de Santa Inês, ter determinado o retorno imediato do prefeito afastado.

A decisão em 1ª Instância suspendeu o pedido do prefeito que estava em exercício, Ednaldo Alves Lima, de permanecer à frente da gestão municipal. O juiz entendeu que a permanência dele no cargo de prefeito é ilegal e abusiva.

Mesmo com a decisão da justiça, Ednaldo não queria sair da prefeitura. O prefeito Ribamar Alves que reassumiu às 13h25 desta segunda-feira, só voltou à prefeitura após a saída do vice.

“O vice não queria sair do cargo, ele estava usurpando o cargo, já estávamos providenciando uma ação policial caso não saísse. Mas graças a Deus deu tudo certo, agora volto ao cargo de forma democrática como o povo me escolheu”, disse Ribamar Alves.

Ribamar Alves ainda falou a nossa reportagem sobre os próximos passos.

“Tem muito trabalho pela frente, não sei como a cidade ficou abandonada em poucos dias. Os hospitais nem algodão e álcool tem para fazer um curativo. Escolas estão fechadas, creches sem aulas, salário de funcionários atrasados, sendo que quando me afastei estava tudo em ordem, décimo pago, salários pagos em dia. Agora a cidade está suja, estou reunido com secretários e vamos fazer um mutirão para reorganizar a cidade”, contou Ribamar Alves.

 

Entenda o caso

Livre da prisão no Complexo Penitenciário de Pedrinhas há duas semanas, quando o Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA) concedeu sua liberdade, Ribamar Alves (PSB) tentava, desde então, retornar ao cargo de prefeito de Santa Inês. Ele estava preso desde o dia 29 de janeiro após ter sido acusado de estupro a uma jovem paraense missionária da Igreja Adventista, de 18 anos. O crime teria ocorrido um dia antes em um motel de Santa Inês.

Ribamar Alves encontrava-se afastado do cargo de prefeito, por meio de liminar concedida em Mandado de Segurança, também pelo juiz Alessandro Figueiredo, no dia 15 de fevereiro, que na ocasião determinou a posse do vice-prefeito, Ednaldo Alves de Lima. A substituição da prisão pelas medidas alternativas, até então, não interferia na liminar. 

Rodrigo Santos
O Imparcial

Notícias relacionadas