menu

Pernambuco

28/04/2015


Presidente Dilma inaugura fábrica da Jeep em Goiana

Após conhecer as instalações do polo automotivo da Jeep nesta terça-feira (28) ao lado do governador Paulo Câmara, a presidente Dilma Rousseff (PT) assistiu a uma apresentação do músico Cláudio da Rabeca, seguida por depoimentos de moradores de Goiana e região que foram mostrados em um telão relatando as mudanças trazidas pelo novo polo automotivo. No telão também foi mostrado um vídeo do ex-governador Eduardo Campos, onde ele ressalta o esforço e a luta dos trabalhadores como fator fudamental para que o empreendimento fosse viabilizado. A cerimônia foi apresentada pela jornalista Glória Maria.


O vice-presidente global de manufatura da Fiat, Stefan Ketter, apontou os desafios que marcaram a construção da fábrica."Pernambuco foi absolutamente a tarefa mais compelxa que tivemos, não só pelo envolvimento de várias empresas diferentes e fornecedores, mas também pela busca de contar com trabalhadores da região", ressaltou.


John Elkann, presidente do conselho da Fiat, ressaltou a soma dos esforços da empresa ao das autoridades locais, e o estreitamento das relações com as comunidades locais onde a empresa, de acordo com ele, tem implantado diversos projetos.


A presidente Dilma Rousseff chegou para inauguração da fábrica da Jeep, em Goiana, por volta das 11h20, acompanhada pelo governador de Pernambuco, Paulo Câmara.


O governador foi responsável por receber a presidente e sua comitiva na base aérea do Recife, de onde embarcaram em um helicóptero até a fábrica. Entre os membros da comitiva está o senadro Fernando Bezerra Coelho (PSB). O socialista veio no mesmo avião que a presidente e também vai retornar a Brasília com com Dilma.


A inauguração está sendo prestigiada por cerca de 1300 convidados. Entre eles estão o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB) e o governador do Ceará, Camilo Santana (PT). A ex-primeira-dama do estado, Renata Campos, tambérm marca presença acompanhada pelos filhos João Campos e Eduarda Campos.


A ação de hoje faz parte de uma agenda positiva da presidente que o Planalto pretende intensificar. O objetivo é evitar que a presidente esteja no centro das atenções somente quando o assunto são os percalços que tem marcado o seu governo.


Diario de Pernambuco 

Notícias relacionadas