menu

Política

28/09/2015


Presidente do PT diz que quem deixa o partido é movido por interesses

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou nesta segunda-feira 28, em um artigo publicado no site da legenda, que os políticos que têm deixado a sigla são, "na quase totalidade, movidos por projetos personalistas e/ou interesses eleitorais".

Na semana passada, o deputado federal Alessandro Molon (RJ) deixou o Partido dos Trabalhadores para se filiar à Rede Sustentabilidade, de Marina Silva. O parlamentar se candidatará à Prefeitura do Rio em 2016.

"Em vários estados, atos em defesa da democracia e do mandato popular da presidenta Dilma ocorrem simultaneamente a novas filiações, numa espécie de resposta aos que deixam o PT, na quase totalidade movidos por projetos personalistas e/ou interesses eleitorais", escreve Rui Falcão.

Além de Molon, os senadores Paulo Paim (RS) e Walter Pinheiro (BA) e os deputados Weliton Prado (MG), Assis do Couto (PR) e Toninho Wandscheer (PR) pretendem deixar o partido. Em São Paulo, 12 dos 68 prefeitos petistas anunciaram a desfiliação da sigla. No Rio, três dos dez prefeitos eleitos em 2012 deixaram a legenda.

Notícias relacionadas