menu

Brasil

18/11/2014


Primeira etapa do Anel Metropolitano deve ser entregue no fim deste ano

Maranhão

Mais uma grande obra encabeçada pelo governo do estado pretende dar fluidez ao trânsito e melhorar as condições das vias e do tráfego nos principais pontos da cidade. Desta vez a intervenção será na reforma e ampliação da MA-203 e MA-204, que formarão o chamado Anel Metropolitano e ligará os municípios de São Luís, Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar, que compõem a Região Metropolitana da Ilha.

 Apesar de iniciada em outubro do ano passado, apenas a primeira etapa da obra deve ser entregue no fim deste ano, segundo a Secretaria de Infraestrutura do Estado (SINFRA), que compreende os trechos entre o bairro Araçagi até o entroncamento com a rodovia estadual MA-204.

No canteiro de obras o ritmo é acelerado para que a primeira etapa seja concluída no prazo estipulado. O trecho que deverá ser entregue já apresenta pavimentação asfáltica, mas os corredores para ônibus e ciclovia ainda estão em processo inicial de construção, assim como o calçamento que em alguns pontos ainda não foi iniciado. Um viaduto será erguido no entroncamento entre as rodovias MA-203 e MA-204, mas ainda esta na fase inicial.

Para o comerciante Wagner Santos, 48 anos, a obra é importante para melhorar as condições das rodovias que ligam os municípios da Região Metropolitana. “Eu passo por aqui todo dia e sei o quanto esta rodovia estava em péssimas condições. Então com a obra, a gente espera que o trânsito que é bem carregado nos horários de pico, diminua e a estrada melhore quanto a sua infraestrutura”, afirmou.

Quem também está esperançosa com a obra é a dona de casa Ana Maria Almeida, que mora bem próximo ao anel metropolitano. “Eu acho a obra muito boa porque ajuda no trânsito e melhora as condições do asfalto, que antigamente era cheio de buracos, lama, tinha uns trechos que eram horríveis”, declarou.

O Corredor Metropolitano, segundo a Secretária de Estado de Infraestrutura, responsável pela execução da obra incluí uma extensão total de 10,11 quilômetros com um corredor exclusivo para ônibus, com 7,60 metros de largura; duas faixas de rolamento para cada sentido; ciclovia em toda a sua extensão; cinco estações de passageiros; duas pontes e um elevado. A obra deve custar R$ 111 milhões aos cofres públicos, R$ 30 milhões só para o primeiro trecho.

 

(Do jornal O Imparcial) 

Notícias relacionadas