menu

Pernambuco

14/01/2019


Programa PE no Campus oferece mil bolsas para estudantes de baixa renda

Programa oferece bolsas para estudantes da rede estadual aprovados em instituições públicas de ensino superior

O governo de Pernambuco lança nesta segunda-feira (14) o novo edital do programa PE no Campus, com 1 mil bolsas para ajudar estudantes da rede estadual de ensino a ingressar em universidades públicas. As inscrições podem ser feitas a partir da terça (15), exclusivamente pelo site da Secretaria de Educação.

O auxílio financeiro é de R$ 950 no primeiro ano acadêmico e de R$ 400 no segundo ano na universidade. As quantias são destinadas a ajudar a pagar despesas do curso e de moradia, alimentação e transporte.

“Percebemos que a grande dificuldade dos estudantes é nesses dois primeiros anos. O início é muito difícil, mas depois vêm as oportunidades de estágio e de iniciação científica, que ajudam o aluno financeiramente”, afirma o secretário de Educação de Pernambuco, Fred Amâncio.

Para se inscrever, é preciso ter cursado todo o ensino médio na rede pública de ensino e ter concluído há, no máximo, cinco anos. Também é necessário ser atendido pelo Bolsa Família ou ter renda familiar menor do que três salários mínimos e ter residência fixa com distância igual ou maior a 50 km da universidade em que foi aprovado.

Das 1 mil bolsas ofertadas, 900 são para os estudantes que optarem por concorrer por meio da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e outras 100 são para os alunos que desejarem concorrer por meio das notas obtidas nos Sistema Seriado de Avaliação (SSA), da Universidade de Pernambuco (UPE).

Com a possibilidade de ingressar no programa a partir dos dois métodos de avaliação, o PE no Campus também atua na preparação dos estudantes para as duas provas, acredita o secretário.

“É um trabalho de mobilização dos estudantes desde o início do ano. Incentivamos a fazer o Enem, ajudamos a providenciar os documentos, fazemos a preparação ao longo do ano e damos o incentivo quando o aluno vai para a universidade”, afirma.

De acordo com o secretário, o programa gerou um aumento no número de estudantes da rede pública de ensino que fazem o Enem. “Quando o programa foi criado, no ano passado, só 40% dos estudantes que concluíam o ensino médio faziam o Enem. Com o lançamento do programa, o número subiu para 70%”, diz.


Por NORDESTE / G1-PE

Notícias relacionadas