menu

Brasil

13/12/2013


PT defende condenados do mensalão

POLÍTICA

Durante a abertura  do 5º Congresso do PT, em Brasília, nesta quinta-feira, os participantes gritaram frases de apoio aos ex-dirigentes do partido condenados por corrupção no julgamento do mensalão.

José Dirceu, José Genoíno e Delúbio Soares foram chamados de "guerreiros do povo".

Antes do discurso de Lula, a plateia gritou: "Lula, defenda os companheiros".

O ex-presidente prometeu que não falaria sobre o caso, mas depois citou uma "campanha de difamação"".

"Eles tinham medo do Lula, agora têm que enfrentar a Dilma e o Lula, agora têm que enfrentar um partido que na maior campanha de difamação faz um PED (Processo de Eleição Direta) e coloca mais de 400.000 militantes para votar", disse Lula em referência às eleições internas do PT no mês passado.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi cobrado a defender os mensaleiros. O petista participou do evento ao lado da ex-presidente Dilma Roussseff. Já no início da cerimônia, um grupo gritava para pedir a anulação do julgamento do mensalão. Assim que começou seu discurso, Lula ouviu o coro de "Lula, guerreiro, defenda os companheiros". Como o pedido ganhou força, o ex-presidente teve de se explicar: "Não falarei da Ação Penal 470 enquanto não terminar a ultima votação. É uma decisão minha, acho prudente e acho que nós temos coisa para discutir pela frente", disse Lula.

A pressão para que Lula seja mais enfático no apoio aos mensaleiros ecoa a insatisfação de alguns deles – como José Dirceu – com a postura do ex-presidente diante das condenações.

Apesar disso, o ex-presidente mencionou o caso do mensalão – com a retórica vazia de sempre: afirmou que o PT foi vítima da "maior campanha" contra um partido na história. Ele também disse que os erros do partido são menos graves do que os dos adversários.

Agência Brasil com Assessorias

Notícias relacionadas