menu

Brasil

08/11/2013


R$ 26 milhões para Cine São Luiz, Theatro José de Alencar e Pinacoteca

CEARÁ

O Governo do Estado destinará cerca de R$ 26 milhões para a realização de obras em três importantes equipamentos culturais ligados à Secretaria de Cultura (Secult): o restauro do Cine São Luiz, a reforma do Theatro José de Alencar e a abertura da Pinacoteca do Ceará. As obras, que devem ser concluídas até o fim de 2014, tiveram recursos assegurados pelo governador Cid Gomes, na última reunião do Monitoramento de Ações e Projetos Prioritários (MAPP). Ao todo, foi autorizada a liberação de R$ 30,1 milhões para a Secult, montante inédito para a Secretaria.

 

Desses recursos, a restauração do histórico Cine São Luiz contará com R$ 17.981.975,28. A conservação e a recuperação do TJA serão contempladas com R$ 2.338.198,83. As obras para a instalação da Pinacoteca contarão com R$ 5.596.423,00. O investimento total para as três obras chega a R$ 25.916.597,11.
Além dos recursos para as obras, foram autorizados pelo Governo do Estado investimentos para a execução de projetos dos editais culturais de programação permanente do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (R$ 1.308.280,00), projetos de demanda espontânea apresentados à Secult (R$ 1.677,165,00), Edital Ceará Natal de Luz (R$ 655.111,00) e para a realização da Feira da Palavra em Cabo Verde (R$ 590.940,00), todos ainda para 2013. Dos R$ 30,1 milhões liberados, R$ 27,8 milhões são provenientes do Tesouro Estadual e R$ 2,3 milhões do Fundo Estadual de Cultura.

 

A melhoria das condições de utilização dos equipamentos culturais do Estado é uma das prioridades definidas pelo novo secretário estadual da Cultura, Paulo Mamede. “Nosso objetivo é garantir que as políticas públicas do Estado para a cultura possam ter funcionamento, na prática e no dia a dia, de forma democratizada, acessível a todos os interessados, em condições justas e igualitárias, priorizando o interesse da sociedade. O cidadão tem direito a exercer a sua cidadania cultural e deve ser sempre o principal beneficiado”, destaca o secretário.

 

“Para isso, é essencial que os equipamentos da Secretaria estejam em boas condições e tenham programação de qualidade. Os novos recursos assegurados pelo Governo do Estado são fundamentais para que possamos cumprir o compromisso de ter um equipamento histórico, como o Cine São Luiz, devolvido à sociedade, para que o público possa também contar com o Theatro José de Alencar com melhorias importantes e para que tenhamos a nossa Pinacoteca", acrescenta Paulo Mamede.

 

Conservação e recuperação do TJA

 

As obras no Theatro José de Alencar compreendem recuperação e pintura geral da edificação – alvenaria, estruturas de ferro, pisos, portas e janelas -, além da requalificação do jardim e do sistema de prevenção de incêndio, hoje praticamente inativo. “As intervenções previstas são de extrema importância para a estrutura física da edificação tombada que, devido à ausência de um plano de manutenção sistemático nos últimos 24 anos, sofreu desgastes significativos”, aponta a diretora administrativa do teatro, Silêda Franklin.

 

Restauração do Cine São Luiz

 

Cine São LuizCom as obras de restauração do elegante Cine São Luiz, equipamento cultural tombado pelo Governo do Estado em 1991, a Secult busca recolocar o equipamento em uso pela população, preservando a estrutura arquitetônica do prédio e dotando o espaço de mais conforto para o público e os artistas e qualidade para a exibição de filmes e apresentação de outras expressões de arte.

 

Com a restauração do Cine São Luiz, o palco será melhor aproveitado, uma vez que o espaço por trás da tela de cinema estava subutilizado e servirá para receber espetáculos de teatro, canto e dança. “Além do cinema, outras linguagens artísticas poderão utilizar melhor o Cine São Luiz”, destaca Otávio Menezes, da

 

Coordenadoria do Patrimônio Histórico e Cultural (Copahc)

 

As obras incluem melhorias nos sistemas de iluminação, acústica e projeção, além da recuperação de poltronas, piso e revestimentos. O processo licitatório já foi encerrado. O prazo previsto de execução dos serviços é de seis meses, a partir da assinatura da Ordem de Serviço. O contrato com a empresa vencedora da licitação está, no momento, sob análise do Departamento Jurídico da Secult.

 

Pinacoteca do Ceará

 

Os sete galpões da antiga Rede Ferroviária Federal S/A (Rffsa), localizados na Praça da Estação, no Centro de Fortaleza, estão em fase avançada de desocupação para abrigar a Pinacoteca do Estado do Ceará. As obras incluem adaptações para refazer as fachadas originais do prédio, construídas em 1926, resgatando formato e cores, além da construção de uma oficina multifuncional e de seis ateliês livres.

 

A oficina multifuncional será equipada para oferecer o suporte necessário em marcenaria, serralheria, pintura, elétrica e hidráulica aos curadores e expositores. Com a estrutura disponível, os artistas e responsáveis por exposições poderão desenvolver trabalhos na própria oficina multifuncional.

 

A pinacoteca também contará com seis ateliês livres, para receber residências artísticas, e um espaço para a reserva técnica dotado das condições ideais para segurança e acondicionamento das obras pertencentes ao acervo que não estiverem expostas. “A nossa reserva técnica será uma das mais modernas, muito bem estruturada e em condições perfeitas de temperatura e umidade”, observa Carlos Macedo, responsável pelo projeto da pinacoteca desde a sua concepção, no início da segunda gestão do governador Cid Gomes, embora o espaço seja uma reivindicação da classe artística há mais de três décadas.

 

A Pinacoteca do Ceará terá 6.300 metros quadrados apenas para a circulação dos visitantes e área total que ultrapassa os 7 mil metros quadrados incluindo a oficina multifuncional, os ateliês livres e o espaço da reserva técnica. As obras já foram autorizadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico-Artístico Nacional (Iphan), haja vista que o prédio é tombado pelo Estado desde 1983. A previsão de conclusão das intervenções é de 11 meses. “A pinacoteca nasce com a vocação de inserir o Ceará definitivamente no cenário internacional das artes visuais, criando uma interface entre a produção local e a produção do resto do mundo”, vislumbra Carlos Macedo.

 

Mais recursos

 

Além dos investimentos diretos do Governo do Estado, a Secretaria da Cultura está empenhada na mobilização e captação de recursos junto ao Governo Federal e a empresas públicas para o desenvolvimento de projetos estratégicos. Na semana passada, o secretário da Cultura, Paulo Mamede, e o secretário executivo da Secult, Paulo Victor Feitosa, viajaram a Brasília para audiência com a ministra da Cultura, Marta Suplicy, e para reuniões com parlamentares cearenses na Câmara dos Deputados e no Senado.

 

Os dois também estiveram no Rio de Janeiro para participar de reuniões na Fundação Nacional de Artes (Funarte), no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no escritório central da Agência Nacional de Cinema (Ancine) e na Petrobras. Em todas as ocasiões, apresentaram diversos projetos para os quais a Secult busca recursos e parcerias, como o Corredor Cultural do Benfica, a Pinacoteca do Ceará, o Programa de Apoio aos Festivais Culturais Estruturantes do Ceará e um programa de circulação internacional para artistas cearenses.

 

Assessoria

Notícias relacionadas