menu

Bahia

01/12/2015


Reajuste em mensalidades escolares chegará a 15% em Fortaleza

As mensalidades escolares devem ter reajuste de até 15% a partir de março de 2016. Foi o que O POVO apurou em consulta a sete colégios privados de Fortaleza. O valor está acima da inflação prevista para o fechamento de 2015, de 10,38%, segundo o boletim Focus, divulgado ontem pelo Banco Central.

Ricardo Coimbra, mestre em economia pela Universidade Federal do Ceará (UFC), já estimava esse índice. Para ele, a média de reajuste deve ficar entre 13% e 15%. Isso porque nem só a inflação nacional pesa nos valores das mensalidades, que também são influenciados pelo aumento salarial dos professores, alta no salário mínimo e elevação nos gastos com serviços, como a conta de energia. “Assim, a média de aumento fica entre três e quatro pontos percentuais acima da inflação”.

Dentre as sete escolas com índice apurado, apenas uma disse ainda não ter definição sobre o reajuste, mas informou que ele ficará entre 8% e 10%. Nos demais colégios, o índice apontado variou entre 13% e 15%.


Decisão do reajuste

Para balizar o reajuste das escolas, o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Ceará (Sinepe-CE), realiza uma reunião e chega a um índice que serve de parâmetro – mas que não necessariamente é seguido.

Em cerca de um mês, por diversas vezes, O POVO perguntou à entidade qual o percentual a que chegaram neste ano. Entretanto, não obteve resposta. Historicamente, conforme já explicado pelo presidente do sindicato, Airton Oliveira, esse índice varia de acordo com a clientela e os investimentos de cada colégio. “Se subir demais, há evasão. Não adianta repassar os custos num ano só”, detalhou em entrevista concedida no ano passado.

Dentre as despesas que mais pesam para o setor, estão a folha de pagamento, que tem base no salário mínimo, e os aluguéis dos imóveis. Além do peso da adequação e modernização do projeto pedagógico das instituições, por meio do acesso às novas tecnologias.

No caso dos aluguéis, os contratos são reajustados pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M). Conforme o boletim Focus, a previsão é que o indicador feche 2015 em 10,77%.


Beatriz Cavalcante
O POVO 

Notícias relacionadas