menu

Pernambuco

04/12/2017


Recife e Medellín trocam experiências de combate à violência

Um encontro de gestores e entes da iniciativa privada realizado nesta segunda-feira (04), no auditório do Banco Central do Recife, Rua da Aurora, debateu a necessidade de promover políticas integradas contra a criminalidade. O 1° Seminário Sobre Boas Práticas Aplicadas ao Território – Conexão Recife – Medellín (Colômbia) objetivou fomentar a troca de experiências de combate à violência entre cidades latino-americanas. O evento teve a participação do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB). Além da explanação dele, focada basicamente no trabalho dos dois Centros Comunitários da Paz (Compaz) da capital, houve também palestras do consultor colombiano em gestão pública Jorge Melguizo e da socióloga e empresária Neca Setúbal. A mesa-redonda foi mediada pelo secretário municipal de Segurança Urbana, Murilo Cavalcanti.

Dentro da mesma iniciativa, acontece, na tarde desta segunda-feira, uma capacitação dos funcionários do Compaz, na unidade Ariano Suassuna, no bairro do Cordeiro, Zona Oeste, com o secretário Murilo Cavalcanti. Ex-secretário de Cultura e de Desenvolvimento Social de Medellín (entre 2005 e 2009), Jorge Melguizo é conhecido por ter revolucionado a cidade a partir de projetos sociais que contribuíram de forma decisiva para a redução dos índices de violência, nos últimos 12 anos. Medellín registrava 388 homicídios por 100 mil habitantes e reduziu para 21 por 100 mil, segundo números de 2016.

Para Melguizo, não há como tratar a violência urbana de forma isolada. É preciso união entre os municípios. “O problema de uma cidade da Região Metropolitana é um problema de todas. É importante, também, a participação da sociedade. Criminalidade se combate coletivamente”, afirmou. Além de concordar com a visão de Melguizo, a socióloga Neca Setúbal pontuou que “segurança pública não é só uma questão de polícia, mas uma questão social, que envolve também a polícia, mas precisa de transformação da sociedade”.

O prefeito Geraldo Julio destacou que já é possível identificar resultados positivos dos Centros Comunitários, embora as unidades não tenham tantos anos de atuação. “Em uma mesma família, temos a experiência de um jovem que está preso mas seus irmãos, mais novos, vivenciam uma realidade completamente diferente. Vão para escola pela manhã, almoçam e passam a tarde no Compaz, onde fazem aulas de artes marciais, frequentam a biblioteca, entre outras atividades, e chegam 19h em casa, cansados, prontos para dormir”, comentou o prefeito. Murilo Cavalcanti observou que o seminário deu a oportunidade a gestores de diversas cidades pernambucanas de conhecerem as experiências exitosas da Colômbia. “A gente quer criar uma rede de proteção e políticas sociais de prevenção à violência envolvendo não só o Recife.”

Jornal do Commercio

Notícias relacionadas