menu

Pernambuco

18/09/2015


Recife tem a maior alta da cesta de alimentos em 5 anos

Entre 1.258 estabelecimentos de 20 cidades brasileiras em 13 Estados e mais o Distrito Federal, o Recife teve a maior variação da cesta de alimentos (52%) em cinco anos. A pesquisa é da Proteste Associação de Consumidores. O resultado ruim para a capital pernambucana aparece mesmo tendo sido constado que nos supermercados de Pernambuco estão o menor preço mínimo para compra de uma cesta de 104 produtos de marcas líderes: R$ 334,97. E também o menor preço máximo R$ 415,65.

Em cinco anos – quando fomos campeões de aumento -, a cesta passou a custar 51% mais no Ceará e na Paraíba; 50% mais no Rio Grande do Norte e em Santa Catarina; 47% mais no Rio Grande do Sul; 44% mais no Espírito Santo; e 42% mais no Rio de Janeiro e no Paraná.

O 11º levantamento anual de preços dos supermercados brasileiros da Proteste mostra ainda que o consumidor que souber pesquisar poderá economizar até R$ 968,10 no ano em Olinda. A economia é obtida comparando-se o estabelecimento mais barato da cidade (Atacadão da Av. Pan Nordestina, 778) e o mais caro (Arco-Íris, da Estr.do Caenga,120).

Já no Recife, a economia anual, comparando-se o estabelecimento mais caro e o mais barato, pode chegar, no máximo a R$ 670,69. O local mais em conta na cidade é o Makro da Av. Recife, 5005. O mais caro, Extrabom da Av. Caxangá, 1845.

Em Jaboatão dos Guararapes, a economia anual é ainda menor: R$ 295,24. E ocorre se a compra for feita no Atacadão da Av. General Barreto de Menezes, 958, em relação ao Bom Preço da Rua Barão de Lucena, 289.

Notícias relacionadas